Pesquisar e

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Carta a uma nação Cristã- refutada

CARTA A UMA NAÇÃO CRISTÃ

Livro escrito pelo famoso Ateu San Harris.
Respostas ao livro em Vermelho


1-PROPÓSITO DO LIVRO

“O propósito mais amplo do meu trabalho é dar munição aos secularistas de todas as sociedades contra seus opositores... me propus especificamente a demolir as pretensões intelectuais e morais do cristianismo em suas formas mais ardorosas. p. 14”

2- DESTINATÁRIO DO LIVRO

“... este livro foi escrito sob a forma de uma carta aos cristãos dos Estados Unidos. Nele respondo a muitos dos argumentos que os cristãos conservadores apresentam em defesa de suas crenças religiosas. Assim “o cristão” a quem me dirijo ao longo do texto é um cristão em um sentido limitado da palavra. Uma pessoa que assim acredita, pelo menos que a Bíblia é a palavra de Deus, escrita por inspiração divina, e que apenas os que acreditam na divindade de Jesus Cristo terão  a salvação depois da morte. ...É claro que essas crenças metafísicas não se limitam a nenhuma nacionalidade especial do cristianismo. Os cristãos conservadores de todos os países e de todas as seitas- católicos, protestantes de linhas majoritárias, evangélicos, batistas, pentecostais, testemunhas de Jeová e assim por diante- estão todos igualmente implicados na minha argumentação.”  P. 13-14

“Não tenho dúvida de que muitos cristãos que vivem fora dos Estados Unidos se sentirão tão perturbados por essas bizarras convicções da direita cristã” p. 15

“me dirijo à cristandade no  seu aspecto mais desagregador, destrutivo e retrógrado. Nesse aspecto, tanto liberais e moderados como não crentes podem reconhecer uma causa comum” p.15

3- ERROS GROTESCOS

3.1-            Afirma que as testemunhas de Jeová acreditam na divindade de Jesus Cristo:

Assim “o cristão” a quem me dirijo ao longo do texto é um cristão em um sentido limitado da palavra. Uma pessoa que assim acredita, pelo menos que a Bíblia é a palavra de Deus, escrita por inspiração divina, e que apenas os que acreditam na divindade de Jesus Cristo terão  a salvação depois da morte. ...É claro que essas crenças metafísicas não se limitam a nenhuma nacionalidade especial do cristianismo. Os cristãos conservadores de todos os países e de todas as seitas- católicos, protestantes de linhas majoritárias, evangélicos, batistas, pentecostais, testemunhas de Jeová e assim por diante- estão todos igualmente implicados na minha argumentação.”  P. 13-14
Resposta:
1-     As Testemunhas de Jeová são as MAIORES COMBATENTES DA DIVINDADE DE JESUS .
2-     San Harris comete um erro gravíssimo , uma vergonha para UM DOS CABEÇAS DO ATEÍSMO.

3.2-            Afirma  que todo criacionista crê na teoria da Terra jovem:
“A mesma pesquisa Gallup revelou que 53 % dos americanos, são na verdade, criacionistas. Isso significa que, apesar de um século inteiro de descobertas científicas que atestam como é antiga a vida na Terra, e mais antigo ainda o nosso planeta, mais da metade da população americana acredita que o cosmo inteiro foi criado a 6 mil anos” p.16
Resposta:
Segue a pesquisa e seu resultado abaixo:

A. Evolution, that is, the idea that human beings developed over millions of years from less advanced forms of life


Definitely true
Probably true
Probably false
Definitely false
No opinion
2007 Jun 1-3
18%
35
16
28
3

B. Creationism, that is, the idea that God created human beings pretty much in their present form at one time within the last 10,000 years


Definitely true
Probably true
Probably false
Definitely false
No opinion
2007 Jun 1-3
39%
27
16
15
3

Which of the following statements comes closest to your views on the origin and development of human beings – [ROTATED: human beings have evolved over millions of years from other forms of life and God guided this process, human beings have evolved over millions of years from other forms of life, but God had no part in this process, or God created human beings in their present form exactly the way the Bible describes it]?



Evolved, God guided

Evolved, God had
no part
God created man exactly how Bible describes it


Other
(vol.)


No
opinion
2005 Sep 8-11
31%
12
53
1
3
http://www.gallup.com/poll/21814/Evolution-Creationism-Intelligent-Design.aspx


1-Ou seja a pergunta pela qual se obteve 53 por cento não se refere a questão se A humanidade foi criada pro Deus a 6000 anos atrás e sim as questão se Deus criou o homem exatamente como a Bíblia descreve! Isso inclui tanto os criacionistas da Terra jovem como da Terra Antiga.

2- nenhuma pergunta do instituto Gallup se referia a 6000 anos e sim a 10.000 anos . Como pode ser visto:
Which of the following statements comes closest to your views on the origin and development of human beings -- [ROTATE 1-3/3-1: 
1) Human beings have developed over millions of years from less advanced forms of life, but God guided this process, 
2) Human beings have developed over millions of years from less advanced forms of life, but God had no part in this process,
 3) God created human beings pretty much in their present form at one time within the last 10,000 years or so]?

Man developed, with God guiding
Man developed, but God had no part in process

God created man in
present form

Other/
No
opinion

%
%
%
%
2007 May 10-13
38
14
43
4

Veja que o índice foi de 43%!

Quando a pergunta foi feita de outra forma, mudaram os resultados, o resultado foi 39%:
Creationism, that is, the idea that God created human beings pretty much in their present form at one time within the last 10,000 years


Definitely true
Probably true
Probably false
Definitely false
No opinion
2007 Jun 1-3
39%
27
16
15
3

 Evolution, that is, the idea that human beings developed over millions of years from less advanced forms of life


Definitely true
Probably true
Probably false
Definitely false
No opinion
2007 Jun 1-3
18%
35
16
28
3


3- Criacionismo não é sinônimo de Terra jovem! Inclusive apologetas de renome como: Norman Geisler , Gleason Archer, W. L. Craig em seus livros defendem o Criacionismo progressivo ou da Terra antiga! Além do mais existe também o chamado Teísmo Evolucionista que na pesquisa acima revelou que 38% dos americanos crêem que Deus guiou o processo da evolução!


4- Além do mais a bíblia não dá a idade da Terra. Constitui erro somar genealogias, pois elas são abertas: Compare Mt 1: 8 com 1 Cr 3:11-12. Mateus fala que Jorão(Jeorão) gerou Uzias, enquanto que mais precisamente Jeorão, gerou Acazias e este Joás, e este a Amazias este a Uzias(Azarias).  Uma comparação de 1 Cr 6:6-14 com Esdras 7:3-4 revela que Esdras omite 6 gerações entre Zeraías e Esdras! Para  maiores detalhes ver “Enciclopédia de Apologética, p. 367-370, Editora Vida, 2002.”

5-Além do mais a pesquisa do instituto GALLUP exclui o criacionismo da Terra Antiga, como opção.

6- Francis Collins, Diretor do Projeto Genoma no seu livro “A linguagem de Deus” p. 179 coloca que cerca de 45% dos americanos adota o criacionismo da Terra Jovem .

Conclusões:
1-San Harris ou não examinou direito a pesquisa e cometeu um erro por acidente ou hiperinflacionou os resultados, deveria ser mais cauteloso ao falar sobre um assunto que não conhece!
2- San Harris deu uma falsa impressão aos seus leitores que o criacionismo da terra Jovem é a única corrente cristã, sendo que temos o Criacionismo da Terra Antiga., corrente da qual tomo partido.



4-      FALSA INTERPRETAÇÃO DA CRENÇA CRISTÃ

4.1- San Harris  diz a respeito da 2ª vinda:
nada menos que 44% da população americana está convencida  que Jesus vai voltar para julgar os vivos e os mortos, em algum momento dos próximos cinqüenta anos. E segundo a interpretação mais comum da profecia bíblica Jesus só vai voltar depois que as coisas derem errado- terrivelmente errado- aqui na Terra. Portanto, não é exagero dizer que se Londres Sidney ou Nova York de repente virassem uma grande bola de fogo, uma porcentagem significativa da população americana veria um lado auspicioso na nuvem em forma de cogumelo que se seguiria. Para essas pessoas, seria o sinal de que a melhor coisa que jamais vai acontecer no mundo está prestes a acontecer: a volta de Jesus Cristo. Deveria ser óbvio e evidente que crenças desse tipo pouco ajudam a humanidade a criar para si mesma um futuro duradouro- seja na esfera social, econômica, ambiental ou geopolítica.” P. 16-17
Resposta:
1-     Em primeiro lugar a Bíblia é clara que a volta de Cristo não pode ser prevista! É de se estranhar também a estatística por ele apresentada, (sem fonte) que diz um tempo restrito de 50 anos! Pois os evangélicos na sua maioria , mais de 99% não marcam data para a volta de Cristo.

2-     Sua afirmação de que segundo a interpretação mais comum da profecia bíblica Jesus só vai voltar depois que as coisas derem errado- terrivelmente errado- aqui na Terra.” Não é verdadeira pois a corrente mais numerosa da Escatologia (doutrina das últimas coisas) ou seja o Premilenismo pré-tribulacionista ensina que a 2ª vinda tem duas fases.
A 1ª é o arrebatamento e a 2ª e a implaNtação do reino de Cristo.
O arrebatamento é iminente!
A implantação do reino se dará após o período de tribulação, que dura 7 anos, período no qual o anticristo dominará o mundo!

3- Também afirmar que o cogumelo de uma bomba atômica..., seria o sinal de que a melhor coisa que jamais vai acontecer no mundo está prestes a acontecer: a volta de Jesus Cristo” é totalmente falso. Nenhuma linha de interpretação bíblica afirma que essa bomba seria O SINAL.

Conclusão: é sim um exagero e uma mentira afirmar quedizer que se Londres Sidney ou Nova York de repente virassem uma grande bola de fogo, uma porcentagem significativa da população americana veria um lado auspicioso na nuvem em forma de cogumelo que se seguiria. Para essas pessoas, seria o sinal de que a melhor coisa que jamais vai acontecer no mundo está prestes a acontecer: a volta de Jesus Cristo.”
San Harris deveria ter estudado mais as crenças cristãs antes de criticá-las e distorcê-las!

5-      CONTESTAÇÃO DA SABEDORIA DA BÍBLIA

5.1-A BÍBLIA NÃO É O GUIA PERFEITO PARA MORALIDADE POIS:
a--devemos bater nos filhos com uma vara Pv 13:24, 20:30: 23:13-14       
b-se eles nos responderem com insolência devemos matá-los Ex 21:15; Lv 20:9 Dt 21:18-21; Mc 7:9-13; Mt 15:4-7
c-devemos apedrejar pessoas até a morte por heresia, adultério, homossexualidade, trabalhar no sábado, adorar imagens, praticar feitiçaria e uma ampla variedade de crimes imaginários
Resposta:
      Sobre a disciplina dos filhos:
1-     sobre a vara é correto dizer que isso não significa espancamento! Inúmeras pessoas já apanharam com varas, isso foi comum aqui no Brasil até pouco tempo, isso não é imoral. Espancamento sim, é imoral, Pv 19:18! É claro que esta não é a única forma de correção que a bíblia ensina Pv 3:11-12.

2-     Ex 21:15 fala sobre agressão física dos filhos contra os pais.

Ex 21:15  Quem ferir seu pai ou sua mãe será morto.

Lv 20:9 fala sobre amaldiçoar e não sobre responder com insolência (audácia, cinismo)

Lv 20:9  Se um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto; amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue cairá sobre ele.

Dt 21:18-21 fala sobre um filho rebelde, insubmisso, comilão e beberrão, resistente à disciplina e que não quer mudar!
Dt18:18 Se alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedece à voz de seu pai e à de sua mãe e, ainda castigado, não lhes dá ouvidos,
19  seu pai e sua mãe o pegarão, e o levarão aos anciãos da cidade, à sua porta,
20  e lhes dirão: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz, é dissoluto e beberrão.

21  Então, todos os homens da sua cidade o apedrejarão até que morra; assim, eliminarás o mal do meio de ti; todo o Israel ouvirá e temerá.

Sobre a pena de morte:
-é um método justo quando bem julgado, pois a pessoa só sofrerá a pena se escolhe praticar tal ato, se não quisesse arriscar morrer não deveria ter praticado.
-O fato da pena de morte ser um método de punição muito rigoroso não mostra que a Bíblia não é perfeita, até porque Sam Harris é um defensor do aborto, um tipo de pena de morte que não envolve nenhuma culpa do agressor!
- A prescrição BÍBLICA para pena de morte foi abolida, ou seja as leis do antigo Testamento não tem mais validade, embora a bíblia não faça objeção para a aplicação da pena de morte por parte do governo humano em casos estabelecidos pela lei do país, ou seja , esses pecados segundo a bíblia não são passíveis de pena de morte, mas a pena de morte quando aplicada justamente não é um método anti-bíblico como a maioria pensa Rm 13:1-4. A pena de morte pode não ser o melhor método de punição, mas de modo algum o método, em si mesmo, é imoral!
Rm 13:1 ¶ Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.
2  De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.
3  Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela,

4  visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal.

Conclusão: 
San Harris adulterou alguns textos e utilizou de engano ao afirmar que pena de morte é imoral, pois disse que por a bíblia prescrever a pena de morte para tais delitos ela não era um guia perfeito de moralidade. Porém ele não provou que tais delitos supra citados  não eram imorais! Talvez Sam Harris deveria olhar no dicionário o que é moral e ética.


5.2- JESUS NÃO ABOLIU O ANTIGO TESTAMENTO

a- “Muitos cristãos acreditam que Jesus acabou com toda essa barbárie, nos termos mais claros imagináveis”, (idem, p. 26), par isso Harris cita Mt 5:18-20:
“Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til se omitirá da lei, até que tudo se cumpra”

Resposta:
Mt 5:17 ¶ Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.

18  Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.

Gl 3:23  Mas, antes que viesse a fé [em Jesus], estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se.
24  De maneira que a lei nos serviu de pedagogo [tutor] para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé.
25  Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao tutor [a lei}

1-Jesus cumpriu a Lei do Antigo Pacto Fl 2:8; Rm 5:19; Hb 4:15;  Gl 4:4,5; Rm 10:4.
2- Assim ele foi abolido: Cl 2:14-16 ; Lc 16:16,17; Ef 2:14-16. Jesus disse que nada cairia da Lei até que se cumprisse ( Mt 5:17,18; Gl 4:4-5; Rm 10:4 ).
3- Agora já não estamos mais debaixo da Lei, mas da Graça (Rm 6:15; 7:4-6; 10:4; Gl 2:19; 3:25; 5:18) Jesus estabeleceu um Novo Pacto, pois o antigo era transitório ( II Co 3:11 ) e foi quebrado por Israel (Hb 8:8-13). Jesus nasceu sob a lei e nunca pecou Gl 4:4, e nós estamos sob (debaixo) da lei de Cristo 1 Co 9:20-22 , a lei mudou Hb 7:11-12!
II Co 3 contrasta o Novo Pacto com o Velho Pacto, o qual foi abolido, assim cita as Tábuas do Testemunho em II Co 3:7 “Gravando com letras em pedra”. Porque estas eram o símbolo principal do Antigo Pacto, portanto o Novo Pacto  II Co 3:6 substituiu o Antigo, pois o Antigo era temporário II Co 3:11; Hb 8:8-13; 7:12.
4-  o novo pacto se resume em amar ao próximo como a si mesmo Rm 5:9.
Conclusão: San Harris ou não leu todo o novo testamento; ou leu e não entendeu (o que acho difícil, visto a abundância de versos sobre o assunto da abolição da lei; o quis dar uma demonstração de sofisma!



5.3- QUESTIONAMENTO DA MORAL DE JESUS SOBRE A ESCRAVIDÃO
a-“Se levarmos em conta a metade das afirmações de Jesus, podemos facilmente justificar as ações de São Francisco de Assis ou Martin Luther King Jr. Levando em conta a outra metade, podemos justificar a Inquisição...Consulte a Bíblia e você descobrirá que o criador do universo espera, claramente, que nós tenhamos escravos:..Lv 25:44-46... a bíblia também deixa claro que todo homem tem liberdade de vender sua filha como escrava sexual- apesar de nesse caso se aplicam certas restrições sutis: Ex 21:7-11 (idem, p.28-30)

A única verdadeira restrição que Deus aconselha acerca da escravidão é que não devemos bater em nossos escravos tão severamente a ponto de ferir seus olhos ou seus dentes Ex 21:26-27. Nem é preciso dizer que esse é o tipo de orientação moral que conseguiu abolir a escravidão nos Estados Unidos” p. 30
“Em nenhum momento Jesus faz objeção á prática da escravidão. São Paulo até exorta os escravos a servirem bem aos seus senhores...” Ef 6:5-7; 1 Tm 6:1-4
“Em resposta, cristãos como você muitas vezes notam que também os abolicionistas obtiveram na Bíblia uma considerável inspiração. Claro que sim. Há milênios as pessoas escolhem a dedo determinadas passagens bíblicas para justificar cada um de seus impulsos, sejam morais ou não...sequestrar e escravizar milhões de homens, mulheres e crianças inocentes é moralmente errado. Com certeza [a bíblia]não é a melhor maneira para chegar a esta conclusão, em vista do que realmente a Bíblia ensina sobre o assunto...No momento em que uma pessoa reconhecer que escravos são seres humanos como ela própria, com a mesma capacidade de sentir o sofrimento e a felicidade, ela compreenderá que obviamente, é crueldade possuí-los e tratá-los como se fossem equipamentos agrícolas. É notavelmente fácil para qualquer pessoa chegar a essa brilhante conclusão – e, contudo, ela teve de ser difundida a ponta de baioneta em todo o sul dos Estados Unidos, entre os cristãos mais piedosos que este país já conheceu” (Idem p. 32)
Resposta:

1-San Harris intencionalmente omite o fato de que os escravos receberam diferentes tratamentos ao longo da história, o que induz o leitor a associar o termo escravidão à condições sub-humanas e degradantes como foi o caso da escravidão nas Américas.

2-O escravo em Israel podia alcançar um status elevado, mesmo sendo estrangeiro, podendo até ser herdeiro de tudo, como foi o caso de Eliezer, escravo de origem de Damasco Gn 15:2-3.

3- A cada 70 anos, no Ano do Jubileu, os escravos deveriam ser livres Lv 25:1-10

4- A cada 7 anos o escravo hebreu deveria ser libertado Dt 15:11-12 e deveria receber benefícios Dt 15:13,14 e além disso todo escravo deveria descansar no sábado Ex 20:10.

5- Após seis anos um escravo poderia continuar de livre e espontânea vontade, o que acontecia pelo bom relacionamento entre escravos e senhores! Dt 15:15-17; Ex 21:2

6- Um escravo hebreu na verdade recebia a metade do salário de um jornaleiro Dt 15:18; Lv 25:40.

7- San Harris maldosamente deturpa o texto de Ex 21:7-11 que se trata da venda de um a filha como escrava, e não como escrava sexual, além disso dá a entender que só neste caso havia direitos dos escravos, o que é mentira como foi visto acima!
7  Se um homem vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá como saem os escravos.
8  Se ela não agradar ao seu senhor, que se comprometeu a desposá-la, ele terá de permitir-lhe o resgate; não poderá vendê-la a um povo estranho, pois será isso deslealdade para com ela.
9  Mas, se a casar com seu filho, tratá-la-á como se tratam as filhas.
10  Se ele der ao filho outra mulher, não diminuirá o mantimento da primeira, nem os seus vestidos, nem os seus direitos conjugais.
11  Se não lhe fizer estas três coisas, ela sairá sem retribuição, nem pagamento em dinheiro.


8- Harris omite o fato de que “Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com vara, e morrerem debaixo da sua mão, certamente será castigado; {ou vingado}” Ex 21:20; o que certamente incluía a pena de morte Lv 24:17,22.
Lv 24:17  Quem matar alguém será morto.
18  Mas quem matar um animal o restituirá: igual por igual.
19  Se alguém causar defeito em seu próximo, como ele fez, assim lhe será feito:
20  fratura por fratura, olho por olho, dente por dente; como ele tiver desfigurado a algum homem, assim se lhe fará.
21  Quem matar um animal restituirá outro; quem matar um homem será morto.
22  Uma e a mesma lei havereis, tanto para o estrangeiro como para o natural; pois eu sou o SENHOR, vosso Deus.

9- Além disso, como visto anteriormente, o Antigo Testamento foi abolido, e portanto Deus NÃO ESPERA  que tenhamos escravos!

10- O Novo testamento sim exorta os escravos a servirem bem aos seus senhores, como disse Harris, porém ele omitiu o fato de que Ef 6:5-9 fala que um senhor não pode nem mesmo ameaçar um servo, além do fato de que senhor e servo estão equiparados perante Deus: 
“ E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o Senhor deles e vosso está no céu e que para com ele não há acepção de pessoas.”

11- Harris também não menciona o fato de que Gálatas 3:28 também coloca todos os homens perante Deus na mesma condição:
 Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.”

12-Ele também omite o que está escrito sobre os senhores em Colossenses 4:1 
Vós, senhores, fazei o que for de justiça e eqüidade a vossos servos, sabendo que também tendes um Senhor nos céus.”

13- Harris nem menciona que existe um livro cujo assunto principal é sobre o relacionamento entre servo e senhor a epístola de Paulo a Fiilemon onde Paulo o exorta a tratá-lo não como servo, mas como irmão, deveria ser tratado como um apóstolo: 
Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim: e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor?
"Assim pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo” Fl 16-17

14- Harris omite também o fato de que o Novo testamento incentivava o homem a buscar sua alforria 
1 Co 7:21 Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade.

15- Jesus ensinou que:
  • devemos tratar ao próximo como gostaríamos que os outros nos tratassem Mt 7:12.
  • quem quiser ser o maior, seja  servo dos outros Mt 20:26-27

Mt 7:12 ¶ Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas.

Mt 20:25  Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles.
26  Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva;
27  e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo;

Vale ressaltar que os ensinos de Paulo eram ensinos de Cristo

15- A história secular reconhece a contribuição do pensamento cristão do 1º século:

“O cristianismo ao proclamar a igualdade de todos os homens, contribuiu para aliviar a situação dos submetidos ao regime de escravidão” (Nova Enciclopédia Barsa, vol.5 , p. 474, 1993).

“Imagine o que significava, em uma sociedade escravista, um grupo de pessoas que tem por verdade a crença de que todos os homens são filhos do mesmo Pai, e conseqüentemente, são todos iguais. Tal idéia chocava-se com as instituições e valores do Estado romano, e não é de admirar que as autoridades perseguissem duramente seus adeptos.”  (História das Sociedades,Editora ao livro técnico),p.354, 1992)

16- Diante de tudo que principalmente o Novo Testamento ensina, é impossível dizer que metade dos ensinos de Jesus justifica a Inquisição, tão pouco é verdadeira a declaração de Harris quanto a sua alegação de que ele realmente descreveu o que a bíblia ensina sobre a escravidão, pois ele não procurou nem mesmo os textos bases sobre a escravidão, ele fez uso seletivo dos mesmos, e aqui sua crítica cabe a si mesmo.De fato o tema escravidão está na bíblia e foi negligenciado até mesmo pela maioria dos cristãos, se a humanidade tivesse se empenhado no seu estudo com mais afinco certamente teria alcançado um pensamento abolicionista mais cedo na história.
O aprofundamento do sentimento religioso em alguns meios protestantes, na Inglaterra, e a expansão da filosofia iluminista e do racionalismo, na França, suscitam, a partir do séc. XVII , um esboço de opinião anti-escravagista, que no século seguinte se iria consolidar num movimento amplo pela abolição do tráfico negreiro, primeiramente e logo da própria instituição da escravidão...Foi a atuação da Society of Friends (Sociedade dos amigos), ou quacres, que desenvolveu um trabalho pioneiro na criação de uma opinião abolicionista. Em 1774 os quacres da Pensilvânia fundaram a primeira associação contra o trafico de escravos. (Enciclopédia Mirador Internacional, p. 4040, 1996)
Observe que o trabalho pioneiro na criação de uma opinião anti-escravista foi feito por protestantes, e que baseavam seus argumentos na Bíblia sagrada, levando em conta também, os textos não mencionados por Harris.

17-Vale ressaltar também que os quacres são pacifistas e portanto não participaram da Guerra civil, nem tão pouco pode-se afirmar que os cristãos mais piedosos participaram da guerra, é bem clara a distinção entre piedade e fanatismo religioso.Também deve-se fazer menção que a guerra civil teve mais motivos econômicos que religiosos.
Também vale destacar que os ideais Ilumiinistas de Igualdade, fraternidade e liberdade estão todos contidos na bíblia.

Conclusões:
1-     Nenhuma declaração de Jesus justifica a inquisição.
2-     Deus não espera que tenhamos escravos.
3-     Deus não permitia a venda de escrava sexual.
4-     Jesus e Paulo lançaram as bases do pensamento abolicionista.
5-     O trabalho pioneiro da opinião abolicionista foi lançado pelos quacres, os quais não participaram da guerra civil.
6-     San Harris fez uso seletivo da bíblia ao abordar o tema em questão além de distorcer alguns versos, mostrando desonestidade intelectual o que não é nada bom para um dos líderes do movimento ateu na atualidade!


5.4- A BÍBLIA NÃO OFERECE A MELHOR EXPRESSÃO DE MORALIDADE
“Se você acha que seria impossível melhorar os Dez Mandamentos como afirmação de moralidade, você realmente deveria fazer a si mesmo e ler as Escrituras de algumas outras religiões. Mais uma vez, não precisamos ir mais longe do que os Jainistas; Mahavira, o patriarca jainista, superou a moralidade da bíblia numa única frase “Não ferir, abusar, oprimir, escravizar, insultar, atormentar, torturar ou matar nenhuma criatura viva ou ser vivo” Imagine como o nosso mundo poderia ser diferente se a bíblia contivesse essa frase como preceito central. Os cristãos abusaram, oprimiram, escravizaram, insultaram, atormentaram, torturaram e mataram pessoas em nome de Deus durante séculos, com base em uma leitura defensável da bíblia. È impossível comportar desta maneira aderindo aos princípios do jainismo. Como então você pode argumentar que a Bíblia oferece a expressão mais clara de moralidade que o mundo já viu?” (Idem p. 34-35)

As afirmações de Harris demonstram sua falta de conhecimento acerca dos ensinos de Cristo:
1-     Em Mt 7:12 Jesus diz:“Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.” .A expressão “lei e profetas” significava o Antigo Testamento!.

2-       Rm 13:9 Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás, e, se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

3-     San Harris por todo seu livro demonstra não saber distinguir entre preceito e prática. É impossível se comportar causando abuso, opressão, escravização desumana, insultando, atormentando, torturando e matando pessoas em nome de Deus aderindo aos princípios cristãos!  Uma pessoa que se diz cristão e pratica estas coisas não deveria ser chamado de cristão.

4-     Além de tudo a moral jainista é inferior a moral cristã, pois:
  • Coloca no mesmo nível o homem e os outros animais, e isto devido a crença na reencarnação. Será que você concorda que você tem o mesmo valor de um rato de esgoto?
  • Impossibilita a experiência em animais , o que muitas vezes implica em ferir, atormentar, e até matar tendo em vista o bem maior da humanidade, seguir isto a risca implica praticamente em paralisar o progresso da  medicina e ciências afins. Inclusive San Harris aqui se contradiz,  pois na p. 37 defende a pesquisa com embriões e o aborto, que é um assassinato!!!
  • Será que matar um “serial killer” no momento de sua ação ao metralhar pessoas inocentes seria imoral? De acordo com o cristianismo não, pois a misericórdia para com as pessoas indefesas é fator prioritário sobre a vida de um único indivíduo Mt 23:23.  Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas.”
Conclusão: É possível concluir que a moral cristã é superior a de outras religiões, e que é impossível ser um cristão autentico violando a base moral que é Mateus 7:12 e Rm 13:9.


5.5- QUESTIONAMENTO SOBRE A MORAL SEXUAL CRISTÃ.
“De fato a religião permite que as pessoas imaginem que suas preocupações são morais quando na verdade, são altamente imorais- isto é, quando em insistir nessas preocupações inflige um sofrimento atroz e desnecessário em seres humanos inocentes....E explica por que você é capaz de pregar contra o uso da camisinha na África subsaariana, enquanto milhões de pessoas morrem de AIDS nessa região a cada ano.
Você acredita que as suas preocupações religiosas a respeito de sexo, tão imensas e cansativas, têm algo a ver com a moralidade. E, contudo, seus esforços para reprimir o comportamento sexual de adultos que agem por livre e espontânea vontade... quase nunca se destinam ao alívio do sofrimento humano. Ao que parece, aliviar o sofrimento está bem lá embaixo na sua lista de prioridades. Pelo visto, a sua principal preocupação é que o criador do universo ficará ofendido com algo que as pessoas fazem quando estão nuas. E essa mentalidade pudica contribui, diariamente, para o excesso de infelicidade humana...” p. 37
Hoje temos uma vacina contra o HPV que parece ser segura e eficiente. A vacina produziu uma imunidade de 100% nas 6 mil mulheres que a receberam como parte de um teste clínico. Contudo, os conservadores cristãos no governo americano opõe resistência ao programa de vacinação, alegando que o HPV é um impedimento valioso contra o sexo antes do casamento. Esses homens e mulheres piedosos desejam preservar o câncer cervical como incentivo para a abstinência sexual, embora ele tire a vida de milhares a cada ano.” P. 38”...o evangélico Reginald Finger.. , anunciou recentemente que pensa em se opor a uma vacina contra o HIV-condenando, assim, milhões de homens e mulheres a morrer da AIDS a cada ano, desnecessariamente-, já que tal vacina incentivaria o sexo antes do casamento, por torná-lo menos arriscado. P.39

Resposta:
1-      Em primeiro lugar estas opiniões são isoladas e não representam uma posição verdadeiramente cristã, pois não contribuem para o bem da humanidade.

2-      A oposição à camisinha vem da Igreja Católica e não encontra apoio na Bíblia, a abstinência sexual é o único método 100% seguro de evitar a AIDS, mas já que as pessoas tem relações fora do casamento deixar de usar camisinha seria propagar ainda mais a AIDS, contrariando as passagens já citadas..

3-      A moral sexual da Bíblia restringe o sexo a parceiros heterossexuais e isso num compromisso de casamento, o que preveniria as doenças venéreas, gravidez indesejada e outros problemas mais, o que contribuiria para o aumento da felicidade humana. As prescrições bíblicas destinam ao bem do homem e não a infelicidade.

4-      Quanto a oposição de alguns poucos à vacina isto constitui uma flagrante negligência aos textos já citados e não incentivaria o sexo antes do casamento, como eles alegam,  pois esta vacina não previne outras DST (doenças sexualmente transmissíveis) nem a gravidez “indesejada”, assim essas pessoas estão se pautando em cima de sofismas.

Conclusão: A Bíblia de fato condena o sexo fora do casamento, visando o bem da humanidade, porém não se opõe ao uso de métodos que diminuem o sofrimento das pessoas como uso de vacinas, camisinha e outros, ao contrário se podemos fazer o bem a alguém e não o fazemos assim pecamos!

5.6- QUESTIONAMENTO SOBRE O ABORTO E CÉLULAS TRONCO
“Isso explica por que cristãos como você gasta mais energia “moral” fazendo oposição ao aborto do que lutando contra o genocídio. Explica por que está mais preocupado com os embriões humanos do que com a possibilidade de salvar vidas, oferecida pela pesquisa com células-tronco.  P.37
“É claro que a posição da Igreja a respeito do aborto não leva em conta os detalhes da biologia, assim como não leva em conta a realidade do sofrimento humano. Já foi estimado que quase 50% de todas as concepções humanas terminam em aborto espontâneo, em geral sem que a mulher sequer perceba que esteja grávida. Na verdade, 20% de todos os casos de gravidez reconhecidos terminam em aborto espontâneo. Existe aqui uma verdade óbvia e gritante: se Deus existe, ele é o mais prolífico de todos os praticantes de abortos.” p.46
“Seus escrúpulos acerca da pesquisa com células tronco são igualmente obscenos”  p.39
“Qualquer pessoa que creia que os interesses de um blastocisto podem prevalescer sobre os interesses de uma criança com uma lesão na espinha dorsal está com seu senso moral cegado pela metafísica religiosa. O vínculo entre a religião e a ‘moral’- tão proclamado e tão poucas vezes demonstrado- fica aqui totalmente desmascarado, tal como acontece sempre que o dogma religioso prevalece sobre o raciocínio moral e a compaixão genuína”
Resposta :
  • A bíblia se opõe tanto ao genocídio quanto ao aborto, salvo os casos de aborto terapêutico, pois neste caso, caso não se faça o aborto terapêutico, após uma rígida avaliação do corpo clínico de especialistas, ambos, mãe e filho morrerão. E assim deixar de poupar a vida da mãe, constitui falta de misericórdia e omissão MT 23:23 e Tg 4:17 Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado.”
  •  Acerca de abortos expontâneos, em casos de gravidez reconhecidos, a cifra gira em torno de 10 a 15% e não 20 %, (...)além disso o termo espontâneo não significa sem causa, na verdade as causas são conhecidas. As causas não são parte em si do processo de reprodução mas fatores prejudiciais a este processo, inimigos,  o que impede que esta estatística seja utilizada em favor de uma defesa pró-aborto ou utilizadas para culpar Deus. 
  • Portanto, dizer que Deus é quem está causando tais abortos é o mesmo que dizer que foi ele quem causa cáries nos dentes o que é irracional, visto que o ser humano tem liberdade, e essa liberdade inclui o fato dele desestabilizar a natureza..
  • Na verdade o índice de morte dos embriões concebidos, e que chegam ao óbito gira em torno 50%, conhecidos como Aborto sub-clinico. Como disse Harris, estes embriões não chegam nem a ser percebidos, visto que só é possível identificar a gravidez após a nidação, a implantação no útero, o que se dá em torno do 8º dia após a concepção. Esta estatística não pode ser utilizada como um argumento em favor do aborto, visto que as pessoas fazem aborto após terem notícia da gravidez, o que ocorre na 3ª semana de gestação, poderia ser utilizada no máximo como argumento em favor de inseminação artificial e pesquisa com células-tronco embrionárias, pois o número de morte de embriões ocasionados por inseminação artificial e depois pela pesquisa com células tronco (propiciando como benefícios a vida de novos seres bem como o avanço da medicina) é muitíssimo menor do que o número de óbitos gerados por um casal que usa por meios naturais para se ter filhos.
Quanto a pesquisa com células tronco, de fato a maioria dos cristãos, se opõe, talvez por falta de informação sobre os potenciais benefícios. Porém sob a luz de MT 23:23 e Tg 4:17 alguns cristãos, especialmente os da biomédicas visto conhecerem melhor o assunto, apoiam a pesquisa com células tronco visto que 100% vão para o lixo, e assim constitui um bem maior utilizá-las para o bem da humanidade! Dentre os que apóiam a pesquisa com células tronco estão o ex Diretor do Projeto Genoma, Francis Collins, um cristão evangélico.
Isto vai então de acordo com o princípio máximo do Cristianismo que é a compaixão: “...o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé..”Assim fica estabelecida perfeitamente o vínculo entre cristianismo e moral.

 Para defender o aborto e a pesquisa com células tronco San Harris rebate alguns argumentos dos opositores à pesquisa, porém utilizando de falsos princípios como:

1-    O número de células do blastocisto e da mosca e a ausência de cérebro: “Um embrião humano é um agrupamento de 150 células chamado de blastocisto. Existem, para efeito de comparação, mais de 100 mil células no cérebro de uma mosca. Os embriões humanos destruídos nas pesquisas de células tronco não têm cérebro, nem sequer neurônios. Assim não há razão para acreditar que eles possam sentir qualquer tipo de sofrimento com sua destruição, de maneira alguma. Nesse contexto, vale lembrar que, quando ocorre a morte cerebral, atualmente julgamos aceitável extrair os órgãos da pessoa (desde que ela os tenha doado para esse fim) e enterrá-la. Se é aceitável tratar uma pessoa cujo cérebro  morreu como algo menos que um ser humano, deveria ser aceitável tratar do mesmo modo um blastocisto. Se você está preocupado com o sofrimento que ocorre neste universo, matar uma mosca deveria lhe apresentar dificuldades morais maiores do que matar um blastocisto humano.” p. 40.
Resposta:
  • A ausência de dor não é justificativa para se matar um ser vivo, se for usado este critério, por si só, poderíamos dar uma anestesia geral em San Harris e depois matá-lo, visto que ele não sentira nenhuma dor.
  • A comparação com um cadáver remete a alguns problemas, pois como ele mesmo disse só se pode retirar os órgãos dele com um prévio consentimento, o que não ocorre com um aborto, pois o novo ser não teve oportunidade de escolher.

2-    Qualquer célula humana é um ser humano em potencial:
“Talvez você ache que a diferença crucial entre uma mosca e um blastocisto humano está no potencial deste último em tornar-se um ser humano plenamente desenvolvido. Mas em vista dos nossos recentes avanços em engenharia genética, quase toda célula do corpo humano é um ser humano em potencial. Cada vez que você coça o nariz, já cometeu um holocausto de seres humanos em potencial. Isso é um fato. O argumento que fala do potencial das células não leva a absolutamente nada.”   p.40
Resposta:
  • Sim, a diferença essencial é que a mosca não tem potencial de tornar-se nem parte de um ser humano, muito menos um ser humano plenamente desenvolvido.
  • È falsa a alegação de que qualquer célula humana tem o potencial de tornar-se um novo ser humano, se isto já tivesse acontecido não seria necessária a pesquisa com células tronco, como bem disse Francis Colins, diretor do projeto Genoma e por sinal um cristão evangélico: “os cientistas agora encaram o estudo das células-tronco como uma oportunidade para aprender como uma única célula pode se transformar numa célula hepática (de fígado), renal (de rim) ou cerebral” (A linguagem de Deus, p.250).
  • Na verdade só “As células-tronco derivadas de embriões humanos apresentam potencial definitivo para formar qualquer tipo de tecido (afinal, fazem isso com toda a naturalidade no decorrer dos eventos).p. 252. Depois de diferenciadas as células humanas perdem seu potencial de diferenciação: “é provável que a ciência descubra os sinais, contidos no citoplasma das células epidérmicas [ou de qualquer outro tecido] apague seu histórico e recupere seu potencial extraordinário para se transformar em vários tipos diferentes de célula.”(A linguagem de Deus,  p. 256).
  • Até mesmo o processo conhecido como SCNT (Transferência Nuclear de Células Somáticas), o mesmo que deu origem a ovelha Doly, utiliza de duas células mais a intervenção humana para que seja gerado uma nova célula com potencial definitivo: A SCNT consiste na retirada do núcleo de uma célula de tecido qualquer e sua transferência  para a célula de um óvulo (ovócito), o qual também teve seu núcleo retirado, “ao juntar estas duas entidades, cria-se uma célula que não se forma naturalmente,  mas que apresenta um potencial definitivo(A linguagem de Deus, p.256)
  • Conclusão: 
dentre as células humanas só as células-tronco apresentam potencial definitivo para produzir um ser ou se diferenciar em qualquer tipo diferente de célula: “O embrião humano, formado pela união de espermatozóide e óvulo, começa com uma única célula. Ela tem uma maleabilidade fenomenal,  e apresenta o potencial de se transformarem uma célula do fígado, do cérebro, de músculo e em qualquer outro tipo de tecido complexo...” (A linguagem de Deus,p.249). Portanto é uma grande sofisma Harris alegar que ao coçarmos o nariz estamos matando muitos seres humanos em potencial, pois nenhuma célula, por si, exceto as embrionárias, possui potencial pleno, se Harris quis aludir ao processo de SCNT  deveria ter sido honesto em dizer que na verdade se precisa de um óvulo (sem núcleo) e de o núcleo da célula do nariz para se tentar produzir um novo ser humano, só então  esta nova célula  apresentará potencial definitivo. Ou ele não conhece o processo de SCNT ou não quis descrevê-lo, se não conhece é ignorante e imprudente, e se conhece mostrou mais uma vez ser um sofista!

3-     Um blastocisto não tem alma, logo não devemos preocupar com a alma dele:
“A idéia ingênua de que existem almas numa placa de Petri é intelectualmente impossível de defender... as suas crenças a respeito da alma humana estão, neste exato momento, prolongando o sofrimento atroz de dezenas de milhões de seres humanos.”p.41

Conclusão de Harris: “considerando todas as concessões que já fizemos para acomodar a irracionalidade baseada na fé no nosso discurso público, muitos afirmam- inclusive defensores da pesquisa com células-tronco- que a posição que você adota nesse assunto tem certo grau de legitimidade moral. Mas não tem” p.41

Resposta:

A questão ética em torno da pesquisa com embriões humanos se dá não essencialmente por causa da crença que existe alma numa placa de Petri, e sim porque o embrião é, naturalmente, um ser humano em potencial, ou seja, tem potencial definitivo, e não existe uma linha divisória biológica e conveniente entre um ser humano e não humano:
Partindo de uma perspectiva biológica, as etapas que seguem a união entre espermatozóide e óvulo ocorrem numa ordem bastante previsível, que leva a uma complexidade crescente, sem limites precisos e fases. Não há portanto, nenhuma linha divisória biológica e conveniente entre um ser humano e uma forma embrionária que possa ser chamada ‘ainda não está aí’.(A linguagem de Deus, p.253)

“As células tronco derivadas de embriões humanos apresentam potencial definitivo para formar qualquer tipo de tecido (afinal, fazem isso com toda a naturalidade no decorrer dos eventos). Contudo, eis de onde surgem justamente as profundas questões éticas. Um embrião formado pela união de um óvulo e um espermatozóide humanos é uma vida humana em potencial. O processo de obtenção de células tronco do embrião resulta na destruição dele...”(A linguagem de Deus,p. 252)

Conclusão:
A pesquisa com células-tronco embrionárias trata-se de uma questão ética, pois não se trata de embriões de ratos de laboratório e sim de embriões humanos, isto é ,vidas humanas em potencial. Assim só um grande motivo poderia justificar a destruição destes embriões, como é o caso da potencialidade do tratamento de doenças oferecido pela pesquisa de células-tronco, aliviando o sofrimento e salvando milhões de vidas humanas.

5.7- CRITICA AO TRABALHO SOCIAL FEITO POR PESSOAS CRISTÃS

“Não há dúvida de que missionários cristãos também são movidos pelo desejo de aliviar o sofrimento humano; mas eles abordam essa tarefa carregando o pesado fardo de uma mitologia perigosa e causadora de desavenças. Os missionários no mundo em desenvolvimento desperdiçam muito tempo e dinheiro (sem falara da boa vontade dos não cristãos) fazendo proselitismo com os necessitados; eles divulgam informações inexatas a respeito de métodos anticoncepcionais e doenças sexualmente transmissíveis, e se recusam a divulgar informações precisas... o fato é que seu dogmatismo dissemina a ignorância e a morte... Sabe-se de casos em que missionários cristãos pregaram que usar preservativos é pecado, em localidades onde não há nenhuma outra informação acerca do assunto. Esse tipo de crença é genocida. Também podemos perguntar, de passagem, o que é mais moral: ajudar as pessoas puramente pela preocupação com o sofrimento delas, ou ajudá-las porque você acha que o criador do universo vai recompensá-lo por isso? P.43-44

Resposta:

1-      Em primeiro lugar esta crítica sobre métodos anticoncepcionais só vale para o catolicismo, posição esta não apoiada na bíblia.
2-      A motivação dos missionários cristãos está baseada primeiro no valor intrínseco da pessoa e só em segundo plano com uma recompensa divina, na verdade a própria Bíblia ensina que só terão recompensa os que tem uma motivação correta. Basta ler Mateus 6:1-4; 1 Co 4:5. Todo a moral cristã se baseia no amor ao próximo e não na recompensa Rm 13:9. Pelo visto San Harris não entende nem o fundamento do cristianismo!

5.8- A COMUNIDADE ATÉIA É MORALMENTE SUPERIOR A COMUNIDADE CRISTÃ E SOFRE PRECONCEITO
“ Você acredita que se a Bíblia não for aceita como a Palavra de Deus, não pode haver um padrão universal de moralidade. Mas podemos pensar facilmente pensar em fontes objetivas de ordem moral que não requerem a existência de um Deus legislador...]Se existem leis psicológicas que governam o bem estar humano, conhecer essas leis nos proporcionaria uma base duradoura para uma moralidade objetiva. É verdade que não temos nada que se assemelhe a uma compreensão final e científica da moralidade humana; mas parece seguro dizer que estuprar e matar nosso próximo não estão entre seus elementos básicos. Tudo na experiência humana sugere que o amor conduz à felicidade mais do que o ódio. Essa é uma afirmação objetiva acerca da mente humana, da dinâmica das relações sociais e da ordem moral do nosso mundo. Sem dúvida é possível dizer que Hitler estava errado em termos morais, sem ser preciso nos referirmos  às escrituras p.35
                                                                                           
“Se você tem razão de acreditar que a fé religiosa oferece a única base real para a moralidade, então os ateus deveriam ser menos morais que as pessoas de fé. Na verdade os ateus deveriam ser totalmente imorais. Será que são mesmo? Será que os membros das organizações de ateus nos Estados Unidos cometem crimes violentos em proporção maior que a média? Será que os membros da Academia Nacional de Ciências, dos quais 93% não aceitam a idéia de Deus , mentem, enganam e roubam deslavadamente?...As pessoas de opinião indicam que ser ateu é um impedimento perfeito para se candidatar a qualquer alto posto no nosso país...Quando será que ocorreu o último levante dos ateus?Será que existe algum jornal nesse planeta que hesitaria em publicar caricaturas sobre o ateísmo, temendo que seus editores fossem seqüestrados ou assassinados em represália?”
Cristãos como você invariavelmente declaram que monstros como Adolf Hitler, Josef Stalin, Mao Tse-tung, Pol Pot e Kim II Sung surgem do ventre do ateísmo. É verdade que tais homens por vezes são inimigos da religião organizada, mas nunca são muito racionais, de fato, os pronunciamentos públicos desses homens muitas vezes são totalmente delirantes, nos assuntos mais variados: raça, economia, identidade nacional, a marcha da história, os perigos morais do intelectualismo. O problema desses tiranos não é que eles rejeitam o dogma da religião, e sim que adotam outros mitos destruidores da vida. A maioria se torna centro de um culto da personalidade quase religioso,que exige uso contínuo da propaganda para se manter...” p. 47-48
“*E parece que o ateísmo de Hitler foi seriamente exagerado: ‘Como cristão, meu sentimento me mostra meu Senhor e Salvador como um combatente. Mostra-me aquele homem de outrora que, sozinho rodeado por apenas alguns seguidores, reconheceu o que era verdadeiramente aqueles judeus e conclamou os homens a lutar contra eles... como cristão, também tenho um dever para meu próprio povo” p.48
“Veja o holocausto: o anti-semitismo que construiu os campos de morte dos nazistas foi herança direta do cristianismo medieval. Durante os séculos os europeus cristãos tinham considerado os judeus a pior espécie de heréticos, e atribuído toda sorte de males da sociedade à sua contínua presença entre os fiéis. Embora o ódio aos judeus da Alemanha se expressasse de maneira, sobretudo secular, suas raízes eram religiosas, e a demonização explicitamente religiosa dos judeus da Europa foi contínua durante esse período. O próprio vaticano perpetuou a calúnia de sangue em seus jornais até 1914. E tanto a Igreja católica como a protestante têm um passado vergonhoso de cumplicidade com o genocídio nazista”p.49
Resposta:
“Quando é Stalin ou Pol Pot que faz a carnificina, é porque se trata de ideólogos enlouquecidos ou irracionais; o ateísmo deles não tem nenhuma relação com seus atos. Quando, porém, o Holocausto é engendrado por um ideólogo, trata-se  do ponto culminante de quatrocentos anos de intolerância cristã em relação aos judeus (A morte de razão. Ravi Zacharias, Editora vida, 2011,p. 44)
1-     A Bíblia sagrada em Romanos 2:14-26  mostra que fora a revelação cristã da moralidade, existe um padrão universal de moralidade expresso na própria ordem natural das coisas, assim a afirmação de Harris de que os cristãos dizem que se fora da Bíblia não há padrão universal de moral é falsa e todas as suas implicações.
Por outro lado ao reconhecer que existe um padrão universal de moralidade, Harris cai em contradição com a crença ateísta, pois não pode justificar tal crença sem afirmar a existência de Deus. Foi através deste raciocínio que ateus como C. S. Lews e Francis Colins passaram a ser cristãos:
  • Toda lei possui seu criador. Não existe legislação  a não ser que exista um órgão legislativo
  • A lei moral existe.(lei moral é o senso universal de certo e errado)
  • Logo a lei moral tem um criador.
Nas palavras de Ravi Zacharias:
  • “Quando se afirma que existe algo chamado mal, é preciso supor que existe algo chamado bem.
  • Quando se diz que existe algo que se chama bem, é preciso supor que existe uma lei moral por meio da qual se distingue entre bem e mal. Deve haver algum padrão moral pelo qual se determina o que é bom ou mau.
  • Quando se supõe uma lei moral, é preciso supor um legislador moral -  a origem da lei moral” (Idem p. 46)
Harris não explica a origem das “leis psicológicas que governam o bem estar humano” e não pode explicá-las a parte de Deus. Mesmo se recorrer a Teoria Neodarwinista, não pode explicar a origem das leis que regem a biologia sem recorrer a um criador, como de fato fazem os Teístas Evolucionistas, pois não pode haver lei moral sem um planejador.Tão pouco pode explicar a origem da vida, pois o efeito não pode ser maior que a causa,  assim a matéria bruta por si não pode formar vida, logo deve haver um planejador que produziu vida. De qualquer forma Harris fica num beco sem saída.

É inegável concluir que Deus é o autor do senso do dever, a lei (obrigação) moral: O homem é o único animal capaz de falar, produzir cultura, arte e acima de tudo, ter a natureza moral.  Sua vida é regida por conceitos do bem e do mal, por conceitos universais de moralidade como: homicídio, roubo, etc. Não é possível explicar a obrigação moral pelo indivíduo porque tem  em si a lei do dever (senso moral), nem pela leis da sociedade pois estas resultam da moralidade comum aos indivíduos. Portanto é preciso recorrer à vontade de um Legislador supremo que colocou dentro do homem princípios morais. -Rm 2:14-16.


2-  Alguns ateus argumentam que uma vez que não existe Deus então toda fonte de moralidade é relativa, portanto poderiam fazer o que escolherem, e é esse pronunciamento dos ateus que fazem com que a sociedade em geral se oponha a eles. San Harris  aceita, em tese, um padrão objetivo de moralidade porém nem todos ateus pensam como ele!

3-     Harris diz, sem citar sua fonte, que 93% dos membros da Academia Nacional de Ciências são ateus, o que implicitamente implica em dizer, como de fato os ateus dizem, que a maior parte dos cientistas são ateus, o que é falso. Na verdade em 1916 foi feita uma pesquisa na qual os cientistas foram interrogados sobre se eles acreditavam num Deus que respondia as orações e a resposta foi:
“grosso modo 40% acreditavam nesse tipo de Deus, 40 % não e 20% não tinham certeza.” (O Delírio de Dawkins, p.60, editora Mundo Cristão, 2007). 


Em 1997 foi feita novamente e os números foram em torno de: 40% sim, 45% não e 15% não tinham certeza. Segundo Ian G. Barbour em seu livro “Quando a Ciência encontra a religião” editora Cultrix, p.13, em 1916 o número exato dos que acreditavam era 42% e em 1997 era de 39%. Destas pesquisas podemos concluir:
  • O número de teístas convictos (crença num Deus criador que responde as orações) é cerca de 40%.
  • O número dos que não descrê é maior do que o número dos que não crêem num Deus pessoal que responde as orações , em torno de 55%.
  • Um deísta (pessoa que crê que Deus criou o universo, mas não se comunica com o homem) responderia a pergunta como um não, porém não é um ateu, O que faz com que o número dos que acreditam na existência de um Deus criador seja bem superior a 40%.
  • Da mesma forma o número dos que não tinha certeza poderia incluir tanto agnóstico quanto pessoas que acreditam em um Deus criador mas que estão em dúvida entre o deísmo e o teísmo.
  • Portanto o número de cientistas que acreditam num Deus criador é maior que o número de cientistas ateus., o que faz de Harris um mentiroso.
4-     San Harris pergunta quando surgiu o último levante dos ateus e pergunta se algum jornal do mundo temeria alguma retaliação ao publicar caricaturas do ateísmo, o que constitui dois erros. O primeiro é que ele aqui ataca o Islamismo e não o cristianismo e o segundo que num governo comunista ateu se algum jornal publicasse uma caricatura assim  sofreria sim represálias, visto que o governo era anti-religião e declaradamente ateísta.

5-     San Harris acertou ao se referir aos ateus  Josef Stalin, Mao Tse-tung, Pol Pot e Kim II Sung como tiranos, mas diz que o erro deles não é porque rejeitam a religião, mas sim porque criam em torno de si um culto à personalidade. Na verdade não podemos dizer que a perseguição religiosa e política que ocasionou muitíssimas mortes não seja um erro, foi de fato um erro gravíssimo, por isso cabe a eles o título de tiranos. Stalin é tido como um das pessoas  mais cruéis de toda humanidade. O culto a personalidade no caso deles foi consequência da abolição da religião. O fato é que eles realmente eram ateus!

6-     Hitler porém não era ateu no sentido da palavra, nem tão pouco católico como Harris o faz parecer em seu livro,  mas sim um místico exotérico Aliás o discurso de Hitler diz que Jesus chamou seus discípulos a lutar contra os judeus é ridículo até porque a Bíblia em nenhum lugar diz isso e pode-se dizer que a maioria dos discípulos de Jesus, em sua vida terrena, eram judeus, como ele próprio, bem como todos os escritores do Novo Testamento, exceto Lucas!

  • Hitler durante sua vida dedicou o estudo do ocultismo e magia.
  • Aos 15 anos de idade, descreve August Kubzek, amigo de infância de Hitler, Hitler já incorporava espíritos, e falava de seu próprio destino e de seu povo.
  • Tinha em alta conta a astrologia e a geomancia.
  • Um de seus biógrafos, Alan Bullock, diz que um das leituras prediletas de Hitler era Roma antiga, religiões orientais, ioga, ocultismo, hipnotismo, astrologia.
  • Sob a direção de Ernest Pretzche, Hitler teve visões nas quais identificou serem cenas de uma existência anterior de Landulf de Cápua, que serviu de modelo na ópera de Wagner. Landulf foi um príncipe e mago medieval do século nove..
  • Hitler também acreditava ser a reencarnação de Tibério Cezar.
  • Fazia consulta ao pendulo a rabdomancia para saber a posição dos barcos aliados, feita especialmente por Heinrich Luitpold Himmler um dos mais poderosos homens da Alemanha nazista.
  • O ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbles escreveu em 28 de dezembro de 1939: “O Führer é profundamente religioso, embora completamente anti-cristão; ele vê o cristianismo como um sintoma de decadência. E, com razão, é uma ramificação da raça judia” (Hitler- simbologia e ocultismo, editora Escala, p.17, 2008)
  • A Sociedade Ahnenerbe (Herança dos Ancestrais) era um ramo da SS dedicado principalmente à pesquisa de provas à pesquisa de raça ariana e envolivda em práticas de ocultismo. Esteve envolvida na busca da Atlântida e do Santo Graal. Organizaram expedições para o Tibet, Nepal, Grécia, Ártico em busca da nação ariana Hiperbórea. Também foram feitas expedições em busca de objetos semíticos como Santo Graal e a lança do destino, a lança Longinus (lança do Destino).
  • Essa lança seria a suposta lança através da qual o centurião Longinus traspassou Jesus, e ficava no museu de Hofburg em Viena, onde por diversas vezes entrou em transe diante dela, a primeira vez foi em 1912. Depois em 1938 Hitler tomou posse dela e a colocou num cofre forte em Nuremberg. Em 30 de abril de 1945 esta lança passou para o exército americano que a devolveu ao museu.
  • “Possivelmente a influência mais importante para Hitler foi Dietrich Eckart, editor abastado do jornal ‘Aufgut Deutsch’ e um ocultista reconhecido, assim como membro do círculo mais restrito da Sociedade de Thule, Hitler lhe dedicou o seu famoso livro ‘minha luta’ “(Hilter - Simbologia e Ocultismo, editora Escala, p.18). Eckart era Satanista e adepto de rituais de magia negra; “foi um dos sete fundadores do partido nazista, e, ao morrer, intoxicado por gás de mostarda, em dezembro de 1923, disse, exultante: “Sigan Hitler! Ele dançará, mas a música é minha. Inicie-o na ‘Doutrina Secreta’ abri seus centros de visão e dei-lhe os recursos para se comunicar com os Poderes. Não chorem por mim: terei influenciado a História mais do que qualquer outro alemão.” (Idem, p. 31)
  • Eckart “foi seu mestre pessoal na transmissão de determinados conhecimentos e práticas mágicas” (Illuminati, editora Planeta, p.156, 2005)
  • Hitler também teve contato com a Ordem do Vril, fundada pelo general Karl Haushofer, um aluno do mágico e metafísico russo Georg Ivanovitch Gurdjieff. Em Berlim, ele fundou a sociedade para explorar as origens da raça ariana e praticar exercícios de concentração para acordar as forças de Vril. Os dois afirmavam ter contato com fontes tibetanas que tinham os segredos dos ‘super-homens’. Vril significa uma reserva de energia presente no homem da qual ele utiliza somente uma ínfima parte. Dentro dos conhecimentos Iogues, vril e kundalini significam a mesma coisa: o fogo serpentino- o 3º logos. A Ordem do Vril tinha acrença de que os Alemães eram ligados a uma Raça Mestra de Arianos (os primitivos Hindus), que teriam sido descendentes dos deuses que habitavam a Hiperbórea e a Atlântida. Alguns desses super-homens estariam ainda vivos no tibet, no alto do Himalaia, ou no deserto de Golbi, num lugar misterioso chamado Shamballah.
Haushofer foi membro da Golden Dawn (Ordem mágica que surgiu em 1888 e início do século 20 que praticava uma forma de magia e desenvolvimento espiritual, esta ordem foi uma das maiores influencias do ocultismo ocidental do século 20), viajou por vários países como China, Mongólia e Tibete onde viveu algum tempo no mosteiro e foi iniciado pelos monges. Funda a Sociedade Geopolítica, que servia de fachada para uma sociedade secreta. Após a morte de Eckart Haushofer foi quem ficou responsável pela educação espiritual de Hitler. Ele era considerado como o cérebro por trás de Hitler. Traduziu textos budistas e hindus tornado-se autoridade no assunto . Haushofer também foi membro da Thule, e incorporou seus conhecimentos aquela sociedade.
  • Ao ser preso durante 13 anos escreve seu livro “minha luta”, na sua cela recebia a visita de Haushofer e de Rudolf Hess que levavam livros para esclarecer sua inteligência. “além disso Haushofer iniciou Hitler nos vários segredos ocultos das várias escolas e sociedades iniciáticas que conhecera, permitindo ao ex-cabo, um conhecimento sem paralelo” (Sociedades Secretas, editora Escala, p. 107)
  • A Sociedade de Thule fundada em 17 de agosto de 1912 por Rudolf von Sebottendorf, foi um dos pricipais braços da divulgação do nazismo, servindo de propaganda para o Partido Alemão dos trabalhadores, futuro partido Nacional-Socialista (partido nazista). O fundador foi influenciado pelas idéias de Guido von List e Lanz von Liebenfels, este último foi o fundador da Ordem do Novo Templo. Sebonttendorf  numa viagem a Turquia , entrou em contato com iniciados drusos que afirmavam receber seus ensinamentos espirituais do ‘Senhor do mundo’, o senhor de Thule (na Escandinávia) ou Shambala (no Tibet)- o governo oculto do mundo, reino do Hiperbóreos (berço da raça ariana primitiva). Daí o nome Thule. A raça dos hiperbóreos (ariana) teria um poder oculto, o Vril. Hitler conheceu a sociedade através de Rudolf Hess. Thule foi supostamente construída por antepassados extraterrestres das raças arianas, proveniente da estrela Aldebaran. Nas reuniões da Thule Hitler conheceu Dietrich Eckart e depois Karl Haushofer. Foi através da Thule que Hitler assumiu a liderança do partido dos trabalhadores Alemães
7- A afirmação de Harris que os campos de concentração nazistas foram influência direta do cristianismo medieval é falsa, bem como de que o protestantismo é cúmplice do regime nazista!


  • O artigo 24 do partido nazista dizia “rogamos liberdade no âmago do Estado para que todo cidadão possa exercer sua religião, contando que isso não coloque em risco a existência do Estado, ou não agrida o sentimento moral do povo alemão” (idem p. 74)
  • Hitler era na verdade anti-cristão:
“Segundo o ‘The New Age, Scottish Rite Southern Jurisdiction (1938)- Manual oficial de Instrução da Juventude Hitlerista-, o grupo atacava maçons, marxistas e as igrejas cristãs pelo ‘ensino enganoso da igualdade entre os homens’ porque buscavam o poder sobre o mundo inteiro” (Sociedades Secretas, editora Escala, 2008, p. 110)

“No livro Hitler Speaks, de Hermann Rauschning (1939), temos o seguinte discurso: ... ‘Nós mesmos ou os maçons ou a Igreja- só há lugar para um dos três, e temos que nos livrar dos outros dois!’ ” (Sociedades Secretas, Editora Escala, p.111, 2008)

“Qualquer religião que viesse a pregar a tolerância e o amor, indo de encontro dos fatos eram rotuladas de religiões ‘falsas’, ‘escravas’.” (Hitler- simbologia e ocultismo, p. 68).
Uma característica o nazismo foi: “ir contra a Igreja que é mais um ponto que o diverge de outros regimes fascistas.
“As relações do Partido Nazista com a Igreja Católica são bem controversas no sentido que não foram poucos os líderes religiosos que foram contrários ao nazismo, alegando que aquele sistema não tinha nada a ver com a moral cristã. Assim como aconteceu co opositores políticos, muitos padres acabaram por ser condenados aos campos de concentração justamente por irem contra o regime de Hitler. E a Igreja na época representada pelo Papa Pio XII, ficou em silêncio absoluto, e ainda surgem por aí teorias de que houve um complô papal nesse caso, mas isso não tem fundamento algum.” (idem, p. 75)
“Alguns historiadores investigaram essa história a fundo e descobriram que o papa pio XII não estava por dentro do que acontecia na Alemanha e redigiu diversas encíclicas onde condenou o nazismo (Idem, p. 75)
  • Hitler inciou um conjunto de práticas contra o cristianismo como: proibição de cantos natalinos e representações que contavam o nascimento de Cristo foram proibidas nas escolas em 1938 e o natal foi alterado para Jufest (Celebração pagã do equinócio de inverno. Os crucifixos foram retirados das salas de aula e a Páscoa foi transformada em feriado que saudava a chegada da primavera.
  • Hitler organizou a Igreja Nacional do Reich em 1933, todas as igrejas protestantes, sob um plano de 30 tópicos elaborado por Alfred Rosemberg que dentre eles: proibia a publicação e distribuição de bíblias na Alemanha; fazia do livro ‘Minha Luta’ o livro mais sublime de todos; remoção de bíblias crucifixos e imagens dos santos; substituição da cruz pela suástica nazista. Esta igreja recebeu apoio dos cristãos nominais, chamados de “cristãos alemães”.
  • Em oposição a esta igreja nacional apóstata se formou  a liga Pastoral de Emergência, sob a liderança de Bonhoeffer e Niemöller, estas igrejas e líderes que se uniram a Liga eram chamadas de “Igreja Confessante”. O própprio Bonhoefer foi para Londres e de lá tentou reunir igrejas internacionais em torno de uma posição anti-nazista e de apoio a igreja cristã confessional. A igreja na Alemanha ficou dividida, de um lado os Cristãos autênticos e de outro os nominais. Os cristãos autênticos foram perseguidos pela Gestapo. Por fim mais de 800 pastores foram presos e algusn chegaram a morrer em campos de concentração. Em 1938 Hitler exigiu que os pastores assinassem um juramento de fidelidade a Hitler, o que fez que a Gestapo identificasse os pastores desleais a Hitler! Os que não assinaram o jurametno se juntaram aos 800 que haviam sido presos.
  • O nazismo se baseava na superioridade da raça ariana e ódio as outras raças:
“o nacional- socialismo prega que uma nação é a criação máxima de uma raça. Por consequência, grandes nações seriam a base da formação de grandes raças”... “As grandes nações se tornam poderosas devido a sua força militar e esta, por sua vez, provém de culturas civilizadas e racionais, criadas a partir de raças possuidoras de excelente saúde, inteligência acima da média, coragem sem limites e feições agressivas.” (Hitler, simbologia e ocultismo, p. 67, editora Escala, 2008). Consideravam assim as raças sem pátria parasitas, assim podiam eliminar as raças parasitas como: judeus, ciganos e eslavos.
  • O ódio aos judeus não era somente porque eram considerados uma raça inferior:
 O partido nazista achava que um conluio do banco internacional tinha sido responsável pela depressão mundial na década de 30. o controle dessa conspiração foi identificado com o grupo étnico chamado de ‘judeus’, o que se tornou mais um motivo para a destruição desse grupo no holocausto” (idem, p. 69).
  • As verdadeiras fontes das crenças nazistas são conhecidas:
“Entre 1853 e 1855 o conde Joseph Arthur de Gobineau (1816-1882), diplomata e escritor francês tornou-se um dos pais do racismo moderno ao escrever o ensaio A Desigualdade das Raças Humanas’. Nesse livro ele propunha uma teoria pseudocientífica sobre a superioridade da chamada ‘raça nórdica’, loura e dolicocefálica (a medida da largura do crânio mede quatro quintos da altura), sobre todas as outras ‘raças’ humanas. A essa ‘raça nórdica’, que seria originária do norte da Europa Ocidental, Gobineau chamou ‘ariana’”. (Sociedades Secretas, editora Escala, p.100, 2008).
O “influente zoólogo e escritor de filosofia popular, o alemão “Ernest Haeckel (1834-1919) que, em 1906, fundou a Liga Monista, para difundir sua interpretação racista do ‘darwinismo social’. Sete anos antes, Haeckel e seu colega Wilhelm Bölsch (1816-1939), escreveram um livro intitulado Vom Bazillus sum Affenmenschen (Do Bacilo ao Homem-macaco), no qual descreviam a ‘luta livre’ pela dominação entre as espécies zoológicas ‘homem’ e as ‘menores formas de vida orgânica (os organismos microscópicos)’. Esta noção de ‘luta pela dominação’ teria um profundo efeito no desenvolvimento do anti-semitismo alemão, nos primeiros anos do século 20. (Idem, p.101)

  • Guido von List nasceu em Viena, Áustria-Hungria (1848-1919) e era um poeta e escritor místico e anti-semita. Foi influenciado por Madame Blavatsky (criadora da Sociedade Teosófica) e acreditava numa conspiração judaica que ameaçava a existência da raça ariana. Ele nutria ódio ferrenho aos judeus e cristãos, devido aos ‘ataques’ que –em sua opinião- desfechavam contra a cultura, a espiritualidade e os direitos territoriais alemães. Ele pretendia restabelecer o culto a Wotan (odin). Ele fundou a Alta Ordem Armânica e chamava sua doutrina de ‘armanismo’.
  • Jörg Lanz von Liebenfels (1874-1954) ,conhecido como Adolf Joseph Lanz, foi um famoso ideólogo racista anti-semita que em 1904 publicou um livro chamado teozoologia no qual defendia a esterilização das raças inferiores para não contaminar o sangue ariano puro. Defendia que as raças inferiores deveriam ser incinerados como oferenda ao deuses ou deportados  ou utilizados ocmo mão-de-obra escrava. Foi um seguidor de Guido Von List. Jörg em 1915 fundou a Ordem do Novo Templo. Lanz em 1905 começou a publicar o jornal Ostara do qual Hitler era assíduo leitor. Assim é considerado um dos primeiros teóricos do nazismo. As páginas de Ostara eram repletas de insistentes clamores pela restauração da raça loura ao posto de raça dominante do mundo, o extermínio das raças inferiores e a destruição total do socialismo, da democracia e do feminismo.
  • Houston Stewart Chamberlain, nasceu na Inglaterra mas depois mudou-se para a Alemanha e juntou-se a grupos nacionalistas alemães, casou-se com Eva Wagner, filha de Richard Wagner (famoso compositor anti-semita da época, muito elogiado por Hitler). Chamberlain, sustentava que os arianos eram a raça superior que deu origem a todas as raças européias. Obviamente inspirou Hitler em seus ideais e seus escritos serviram como base para o pensamento nazista.” (Hitler- Simbologia e Ocultismo, editora Escala, p.29). Hitler tece vários elogios a ele em seu livro “Minha Luta”. Chamberlian era médiun e foi o guia particular do kaiser Guilherme II, o líder da Alemanha durante a Primeira Guerra.
  • A Germanenorden (ordem dos Teutões), fundada em 1912, teve dentre seus fundadores, Phillip Stauff (aluno de Guido von  List) pregava a superioridade a raça ariana e depois serviu como elemento da propaganda nazista. Muitos membros desta sociedade ocuparam altos postos no partido nazista.

Conclusões:
  • O nazismo procurou eliminar negros, ciganos e portadores de deficiência física, e não somente judeus, pois se inspirou também no conceito difundido da teoria da evolução, que os mais fracos não devem viver.
  • Sua inspiração veio também do conceito alemão de superioridade da raça ariana., o Nacionalismo Étnico
  • É fato que algumas vezes o clero católico se opôs aos judeus, pelo fato deles terem sido juntamente com as autoridades romanas responsáveis pela morte de Cristo e perseguirem os apóstolos, agora a perseguição aos judeus não pode nunca ser considerada um ato cristão, pois o próprio Jesus ensinou amar até aos inimigos Mt 5:44.
  • Justamente por pregar a igualdade de todos os seres humanos, o cristianismo foi perseguido, bem como por fazer oposição a Hitler. Lamentavelmente o número de cristãos nominais na Alemanha era bem superior ao dos autênticos.
  • Pode-se afirmar portanto que ou San Harris é um ignorante da história de Hitler ou ocultou os fatos.

5.9- Harris afirma que somos nós que colocamos a bondade na bíblia
“Nòs decidimos o que é bom no “Bom Livro”. Lemos a Regra de Ouro e achamos que ela destina, de maneira brilhante, muitos de nossos impulsos éticos. Em seguida, encontramos mais um dos ensinamentos de Deus sobre a moral: se um homem descobrir, em sua noite de núpcias, que sua noiva não é virgem, ele deve levá-la até a soleira da porta do pai dela e apedrejá-la até a morte (Deuteronômio 22:13-21). Se somos civilizados, rejeitaremos isso como o mais lunático e mais vil que se possa imaginar. Ma para isso precisamos exercer nossa própria intuição moral p.55
Resposta:
1-Como já foi provado anteriormente  esta "intuição moral”, exige por conseqüência um criador dela, o que refuta o ateísmo.

2-Só em casos de adultério a mulher era morta. Harris despreza o conteúdo do Antigo Testamento, pois se uma mulher tivesse relações fora do casamento ela se enquadraria em uma das seguintes situações:
a-      Os parceiros adúlteros pegos em flagrante eram ambos mortos Lv 20:10; Dt 22:22
b-      Se uma mulher desposada (compromisso semelhante ao de noivado mas com força legal de casamento) tivesse relação com outro homem de espontânea vontade, ambos eram mortos Dt 22:23-24, ou seja equivale ao adultério. Observe que Maria ao ficar grávida estava desposada com José, o que lhe dava direito pela lei de acusá-la de infidelidade mas ele preferiu em seu íntimo anular o casamento, o que faria enquadrá-la na situação d, obrigando-a a casar com o suposto amante, livrando-a da  vergonha. Vale ressaltar porém que sob o governo Romano a autoridade de pena capital foi tirada dos judeus.
c-       Se uma mulher fosse violentada o homem seria morto v. 25-27, ela, porém estaria livre para se casar e não se enquadraria em Dt 22:13-21, visto que seu marido ficaria, desde já, sabendo que ela não seria mais virgem, mas caso não soubesse, o fato de relatar o estupro livraria ela da acusação de ter traído o homem com quem estava desposada.
d-      Quando um homem e uma mulher, solteiros, mantivessem relações sexuais antes do casamento por livre consentimento, então os dois deveriam se casar v. 28-29.

  • Harris por desconhecer a Bíblia, cometeu um engano ao tentar fazer um alarde centralizando o tema na virgindade e não no adultério, como pode ser resumido abaixo:
Uma mulher deflorada, ficaria desposada com um homem apenas se tivesse sido estuprada ou tivesse já sido casada, visto que as que mantinham relações sexuais com um homem solteiro deveriam obrigatoriamente se casar e as que envolvesse em adultério deveriam ser mortas. Logo, o caso em questão Dt 22:13-21 se refere obviamente a uma mulher que traiu seu marido,no período compreendido entre entrar desposada e antes de efetuar seu casamento (letra b).
Veja então que esta situação se equivale ao adultério. A questão da virgindade só é levada em questão como prova de traição ou de inocência.

6-      AS SOCIEDADES MENOS RELIGIOSAS SÃO AS MAIS SAUDÁVEIS

6.1- Harris afirma que o fim da religião já foi alcançado
“Embora você acredite que acabar com a religião é um objetivo impossível, é importante perceber que ele já foi alcançado por boa parte do mundo desenvolvido.”
Resposta:
Nenhum país do mundo, acabou com a religião. Basta olharmos as estatísticas.

6.2- Harris cita uma lista de países em que, segundo ele, essas sociedades são as mais saudáveis e menos religiosas, bem como afirma que as de IDH mais baixo são as mais religiosas:
“Noruega, Islândia, Austrália, Canadá, Suécia, Suíça, Bélgica, Japão, Holanda, Dinamarca e o Reino Unido estão entre as sociedades menos religiosas da Terra. De acordo com o relatório do Desenvolvimento Humano das Nações Unidas (2005), essas sociedades também são as mais saudáveis...”
“Inversamente os países que ocupamos lugares mais baixos, segundo o índice de desenvolvimento humano das nações Unidas, são inabalavelmente religiosos”
“Outras análises pintam o mesmo quadro: os Estados Unidos são o único país, entre as democracias ricas, com algum nível de adesão à religião...” p.50
Resposta:
San Harris cometeu vários erros, como reducionismo de causas, uso de fontes não confiáveis, falsa interpretação etc

“Para medir as variações no padrão da qualidade de vida das diferentes populações do globo, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) criou o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A apuração desse índice leva em conta 3 fatores: a educação, longevidade e renda”(Almanaque Abril, 34ª edição, 2008, p. 119).  Em relação à educação são levados em conta número de alfabetizados e os matriculados em qualquer nível de ensino. A longevidade da população considera taxa de mortalidade infantil e a expectativa de vida ao nascer, sintetizando as condições de saúde e salubridade. Quanto à renda, as riquezas produzidas pelo país são divididas pelo número de habitantes. O ranking mundial de IDH utilizado aqui faz parte do relatório divulgado pela ONU em novembro de 2007, sobre a base de dados de 2005.
Em ralação às estatísticas sobre religião o Almanaque Abril separa em geral os sem religião dos ateus, salvo exceções, visto que não ter adesão a nenhuma religião estabelecida, não implica em ser ateu. De qualquer forma trago o número dos sem religião para efeito de comparação e depois a soma dos sem religião e dos ateus. 

A fonte de Harris sobre estatísticas foi: “P.Zuckerman, Atheism: contemporany rates and patterns”, em The Cambridge companion to atheism, Michael Martin, ed. (Cambridge University Press, no prelo).que pode ser encontrada em (HTTP://www.pitzer.edu/academics/faculty/zuckerman/atheism. html). Essa fonte está deturpada, basta entrar, por exemplo, na embaixada dos países por ele citados e ver as estatísticas:

  • Em primeiro lugar não é verdade que estes países são os menos religiosos. Os países que possuem mais ateus na ordem, segundo o Almanaque Abril de 2008, são: Coréia do Norte, Suécia, Cazaquistão, China, Vietnã, Uruguai, Letônia,Quirguistão,Cuba, Rússia e República Tcheca. O Almanaque Abril também mostra a estatística dos “Sem religião”, o que inclui as pessoas que crêem na existência de Deus, mas que não professam nenhuma religião estabelecida. De qualquer forma somando-se os sem religião, mais ateus a ordem seria: Coréia do Norte, China, República Tcheca, Cazaquistão, Uruguai, Rússia, Letônia, Suécia, Cuba, Quirguistão, Vietnã.
  • Em segundo lugar não é verdade que estas são as mais saudáveis. O IDH mais alto na ordem é: Islândia, Noruega, Austrália, Canadá, Irlanda, Suécia, Suíça, Japão, Países Baixos, França, Finlândia, Estados Unidos, Espanha, Dinamarca, Áustria, Reino Unido, Bélgica.
  • Em terceiro lugar não há relação direta entre ateísmo e primeiras colocações no ranking de IDH (Indice de Desenvolvimento Humano), com exceção da Suécia:

1º Coréia do Norte: 55, 7% sem religião, 15,6% ateus.= 71,6 \   IDH=? *
2º Suécia: 18,3 sem religião, 11,8 ateus= 30,1%  \   6º IDH= 0,956
3º Cazaquistão: 26,3% sem religião, 9,4 ateus= 35,7 \  73º IDH=0,794
 4º China: 40,2% sem religião, 8% ateus.= 48,2% \ 21º IDH=0,937
5º  Vietnã: 12,7% sem religião, 6,9%ateus= 19,6% \ 105º IDH=0,733
6º  Uruguai: 27,5 sem religião, 6,3% ateus=33,8%  \  46º IDH=0,852
7º  Letônia: 26,1 sem religião, 6% ateus=32,1% \ 45º IDH=0,855
8º Quirguistão: 21,5 sem religião, 5,9% ateus= 27,4 % \ 116º  IDH=0,696
9º Cuba: 22,3% sem religião, 5,8 ateus= 28,1%  \ 51ºIDH=0,838
10º Rússia: 25,8 sem religião, 5% ateus= 30,8%  \ 67º IDH=0,802
10º República Tcheca: 31,1 sem religião, 5% ateus= 36,1% \  32ºIDH=0,891

*A Coréia do Norte não divulgou todos os dados para calcular o IDH, porém dispomos da taxa de mortalidade infantil que é 42 a cada mil , enquanto que “Nos países ricos a mortalidade infantil é de seis crianças a cada mil nascidas enquanto no grupo das nações mais pobres chega a 75 por mil” (Idem,p. 119). Em relação a expectativa de vida as mulheres da Coréia do Norte duram 67,3 anos , “Segundo dados da ONU, as mulheres duram mais que os homens na ampla maioria dos países – em 22 nações desenvolvidas sua expectativa de vida ultrapassa, em média, aos 80 anos de idade.” (Idem p. 117)
  • Em quarto lugar, os países com melhor IDH são países de alta adesão de religiosidade observe, (em ordem de IDH):
1º Islândia: Sem religião + ateísmo=2,2% 
2º Noruega: Sem religião + ateísmo = 2,6%------1º ag+ ateísmo=4,7
3º Austrália: Sem religião 15,2%; Ateísmo1,7 ----2º ag 16,8  ; ateísmo 1,8
4º Canadá: Sem religião 12,2%; Ateísmo 1,9% ---6º ag 13,3; atísmo 2
5º Irlanda: Sem religião +Ateísmo= 2,9% ----7º ag 4,5; ateísmo 0,3
6º Suécia: Sem religião 18,3%; Ateísmo11,8%---10º ag 19,4 ateísmo 11,8
7º Suíça: Sem religião 8,7%; Ateísmo1,2% ---11º Ag 10,9; ateísmo 1,3
8º Japão: Sem religião 10,2%; Ateísmo 2,9%
9º Países Baixos(Holanda): Sem religião 20,5 %; Ateísmo1,8%
10º França : Sem religião 16%; Ateísmo 4%
11º Finlândia: Sem religião 7,2%; Ateísmo2%
12º Estados Unidos: Sem religião 9,3%; Ateísmo 0,5%---4º Ag 12,2;ateísmo 0,7
13º Espanha: Sem religião + Ateísmo= 7,6%
14º Dinamarca: Sem religião 8,3%; Ateísmo1,5%
15º Áustria: Sem religião + Ateísmo= 14,2%
16º Reino Unido: Sem religião 12,3%; Ateísmo 1,4%
17º Bélgica: Sem religião 9,4%; Ateísmo 1,9%
  • Em relação aos países de IDH mais baixo: “os de menor IDH são todos na África...”(Idem p. 119) “...todos os 22 países que tem IDH considerado baixo são da África Subsaariana(Idem p. 357). O IDH considerado baixo é menor ou igual a 0,499. Além disso desses 22 países, 21 teve sua independência depois de 1960.
“...a África é seguidamente pilhada, dividida e ocupada pelas potências da Europa a partir do séc. XV. Milhões de africanos são escravizados por essas potências, que mantiveram a exploração dos recursos naturais da região mesmo após o fim da escravidão. As lutas anti-coloniais se desenvolvem principalmente na segunda metade do séc. XX e se misturam aos conflitos da guerra fria...Persistem rivalidades étnicas entre populações de países cujas fronteiras foram criadas artificialmente pelas nações européias no fim do séc. XIX. Esse legado histórico explica porque a África respondia em 2005 por apenas 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Nos países ao sul do deserto do Saara (a África Subsaariana), quase metade da população vive abaixo da linha da pobreza (com renda inferior a 1 dólar por dia).” (Idem, p. 356)
Conclusão: 
San Harris deturpa as estatísticas mundiais para tentar fazer com que seus leitores acreditem que um IDH elevado está diretamente relacionado com um baixo índice de adesão a religião, o que se mostrou falso, visto que os países que tem mais ateus não são os que por ele são citados e todos os países de IDH mais alto tem sim um alto índice de adesão à religião. 
Sua conclusão sobre os países mais pobres é ridícula e anti-científica, despreza todos as causas reais do baixo IDH desses países, que estão relacionadas principalmente ao domínio dos países da Europa. Nossa conclusão é que ou ele é ignorante dos fatos reais ou desonesto intelectualmente.

6.3- Ele afirma que: “Os países com altos níveis de ateísmo também são os mais caridosos, em termos da porcentagem de sua riqueza que dedicam a programas internos de bem-estar social e ajuda aos países pobres.” p.52
Resposta:
  • Esses países por ele ralatados, também em discordância com a fonte de Harris, confirma que não são países com alta porcentagem de ateísmo:
Http://www.globalissues.org/TradeRelated/Debt/USAid.asp#ForeignAidNumbersin ChartsandGraphs; www.oecd.org.

7- DEUS NÃO EXISTE PORQUE EXISTE O MAL
7.1- Deus não protege os homens
“Um ateu é uma pessoa que acredita que o assassinato de uma única menininha- mesmo que ocorra um vez em 1 milhão de anos- lança dúvidas sobre a idéia de um Deus benevolente””As provas de que Deus não proteja a humanidade estão por toda parte. A cidade de Nova Orleans, por exemplo foi destruída por um furacão. Mais de mil pessoas morreram.. Eram gente de fé, eram boas ´pessoas, que tinham orado durante toda a vida. Será que você tem coragem de reconhecer o óbvio? Essa pobre gente morreu falando com um amigo imaginário. É claro que houve numerosos alertas de que uma tempestade de proporções bíblicas atingiria Nova Orleans, e a resposta humana ao desastre que se atingiu foi de uma ineficácia trágica. Mas foi eficiente apenas a luz da ciência... Deus não contou seus planos a ninguém..”p.56-57
“Já é hora de reconhecermos que é uma verdadeira desgraça que os sobreviventes de uma catástrofe acreditam que foram poupados por um Deus amoroso, enquanto esse mesmo Deus afoga bebês em seus berços.” p.58
Resposta:
 Uma mãe mata um bebê inocente, Harris não acha isso imoral, mas se bebês forem vítimas de catástrofes naturais isso seria imoral caso Deus existisse!!!
Quando Harris afirma, sem provar, que se Deus existisse não poderia existir o mal, nem moral nem em termos de desastres naturais. Postula também que se ele existe tudo que acontece acontece pelo perfeito desejo de Deus. Vejamos alguns de seus erros:
1-Para que o mal moral não existisse, ou todas as pessoas fariam o bem ou Deus precisaria tirar a liberdade das pessoas, ou seja seu auto-determinismo fazendo com que não tivessem mais opções de fazer o mal. Como Deus nos dotou de livre arbítrio, o mundo real teria duas possibilidades, ou todos fariam o bem e assim o mal não existiria, ou alguns fariam o mal fazendo com que este se torne realidade. Nós vivemos no segundo onde há o mal. Mas a lei moral dentro de Harris clama por justiça, pois próprio exemplo por ele dado. Assim Deus estabeleceu o governo humano para punir o mal e também após a morte o juízo final para os impenitentes.Rm 13:1-7; Ap 20:11-15
Conclui-se então que o mal existe por opção humana, não sendo contraditório com a existência de Deus.

2- O segundo erro de Harris é atribuir tudo que acontece ao desejo de Deus, inclusive catástrofes. Os seres humanos estão sujeitos as leis da física, química, biologia e outras, assim como podem interferir no equilíbrio ecológico da Terra.
“Nos últimos 30 anos, 12, milhões de quilômetros quadrados de terras do planeta foram transformados em plantações... Segundo a ONU, cerca de 70% das substâncias que contaminam os oceanos vêm de atividades humanas costeiras e o restante, de acidentes ou descargas em alto-mar... Deu um total de 64,2 milhões de quilômetros quadrados, restam 15,5 milhões de florestas originais, cerca de 24%. Na Europa(excluindo o território russo) e na Ásia, mais de 70% das florestas foram derrubadas durante o século XIX  e início do se´culo XX. Entre 1960 e 1990, um quinto das florestas tropicais do globo foi destruído...Na África, o desmatamento já acabou com mais de 90% das florestas (Almanaque Abril, p.198, 2008)
. ...Uma das consequências da ação do homem sobre o meio ambiente é a elevação da temperatura média global, provocada pela intensificação do efeito estufa...cerca de 15% da superfície terrestre sofre algum tipo de desertificação... Além de extinguir espécies vegetais e animais, o desmatamento ampliam aquecimento global, provoca desertificação e diminui os mananciais de água... o efeito estufa esta sendo reforçado pelo excesso de gás carbônico e outros gases liberados no ar pelas atividades humanas, principalmente a queima de combustíveis fósseis” (Idem,199)
A erosão natural...Mas além desse fenômeno natural, a ação do homem (desmatamento, queimadas, urbanização) faz com que o processo tome atualmente proporções devastadoras, causando assoreamento de rios, lagos e represas, inundações e desertificação me todos os continentes”  (Idem, p. 200)
“Para os especialistas em clima, algumas  consequências do aquecimento global já podem ser observadas...Furacões e ciclones vêm aparecendo com maior frequência em diferentes partes do globo, e ainda se constatam mais enchentes e ondas de calor na Europa
(Almanaque Abril, p.206, 2008).
Ventos, furacões e outros fenômenos naturais, como o próprio nome indicam não tem origem imediata em Deus, pois do contrário seriam fenômenos sobrenaturais, a exemplo da abertura do mar vermelho por exemplo. Logo o furacão não foi plano de Deus e Deus não afogou os bebês.

3- O terceiro erro é concluir que Deus não protege os homens.Como já dito o homem está sujeito a ações da natureza, e o homem por ser imagem de Deus é um ser inteligente e criativo podendo detectar o furacão. A tragédia ocorreu não porque Deus não respondeu a oração, mas porque mesmo sabendo que iria acontecer a tragédia as pessoas mesmo assim tentaram a Deus Mt 4:6-7, seria o mesmo entrar de propósito na frente do trem e orar para que ele não passe por cima de nós.

4- Para que se possa provar que Deus não protege as pessoas, teria que se investigar os milhões de narrativas de proteções sobrenaturais e provar que são falsas e só depois concluir que Deus não intervém no mundo, evidentemente nem Harris, nem David Hume, criador do famoso “Argumento contra os milagres” fez isso!


7.2- Contradição dos atributos de Deus

Harris cita além do furacão, a Holocausto, o genocídio em Ruanda e a varíola que matou ,segundo ele 500 milhoes de pessoas no séc. XX:Como compreender a afirmação de que Deus é ao mesmo tempo onisciente e onipotente?...Se Deus existe ou ele não pode fazer nada para impedir as mais terríveis calamidades, ou então ele não tem interesse nisso. Portanto, ou Deus é impotente ou é mau.p. 59
Resposta:
1-Harris na verdade erra no seu argumento, pois na verdade este diz respeito a uma aparente contradição entre amor e onipotência e não entre onisciência e onipotência, pois ele conclui que ou Deus não é onipotente ou é mal.

2- A onisciência de Deus abrange não só os fatos, mas também as possibilidades [o que poderia acontecer], logo não há nada que Deus não saiba
.
2- A onipotência de Deus é o atributo de Deus que implica que ele tem poder infinito, que não pode ser medido. Deus só não pode fazer coisas realmente impossíveis como: criar outro Deus (pois Deus por definição é um ser não criado), deixar de existir (pois Deus é o ser auto-existente e eterno), fazer um triangulo quadrado (porque um triangulo é definido como uma figura de 3 lados e o quadrado quatro), e uma pedra tão grande que não possa carregá-la (pois  a criatura não pode ser maior que o criador).

3- Deus não pode ser mau, pois o mal é ausência de bem e Deus é o ser perfeito, logo não lhe pode faltar algo como o bem.

4- A verdadeira questão diz respeito ao fato, já discutido, que Deus nos criou livres e sujeitos às leis naturais: o Holocausto, o genocídio em Ruanda são causados exclusivamente por más ações dos homens. A varíola matou predominantemente nos países pobres, sim os que foram dominados pelos países ricos. Em suma, para que Deus impedisse estas calamidades teria de interferir no livre arbítrio humano

5- Como já disse acima, Deus estabeleceu o governo humano para punir o mal e também após a morte, o juízo final para os impenitentes. Rm 13:1-7; Ap 20:11-15, ou seja, o fim do mal é uma questão de tempo!

8- NÃO SE PODE PROVAR A INEXISTÊNCIA DE DEUS
Depois de tentativas frustradas, Harris, seguindo os sites ateus admite que não se pode provar a inexistência de Deus, assim como a de Zeus e outros deuses da mitologia. Conclui então que deve-se apelar para o bom senso. “o Deus bíblico é uma ficção, tal como Zeus e milhares de outros deuses mortos que a maioria dos seres humanos mentalmente sãos hoje ignora. Você consegue provar que Zeus não existe? Claro que não.”p.59.
Resposta:
1-Harris, apesar de Filósofo, parece não saber que foi a filosofia pré-socrática que abalou a crença em deuses [politeísmo], pois pela lógica só poderia existir um ÚNICO DEUS:
Na natureza tudo muda, como diz a lei de Lavousier. Toda coisa que está em movimento (mudança) é movida por outra, direta ou indiretamente (Nada passa da potência ao ato senão sob ação de uma causa que já está em ato, o que significa que nada pode ser a causa de si mesmo). Então, torna-se necessário chegar a um primeiro “motor”, que não é movido por outro.  Ainda que se admita a eternidade da matéria ou energia, ainda assim  se exigiria um primeiro “motor”. Esse motor imóvel chamamos de Deus. Essa imobilidade (Deus é puro ato) implica uma perfeição infinita, uma plenitude de ser absoluta e assim eternidade.  Para que existisse vários deuses eles teriam que ter qualidades que os diferenciassem, assim eles não seriam perfeitos, pois uma qualidade que um tem , o outro não tem, fazendo-os imperfeitos. Logo não pode existir mais de um ser perfeito.

2- Os deuses da mitologia não eram nada mais que super-homens, pois: Tinham pai e mãe, nasciam por geração natural, tinham as mesmas paixões humanas, não eram nem onipotentes, nem onipresentes nem mesmo oniscientes. Os deuses da mitologia escandinava eram mortais, tinham que comer da maçã da imortalidade O deus Thor por exemplo tinha um cinto que dobrava seu poder.

3- Como foi visto é uma questão de lógica provar a inexistência de Zeus e seus colegas, os deuses. Mas parece que Harris não quis se esforçar em raciocinar.

4- Já que Harris não conseguiu provar a inexistência dos deuses decidiu tecer ataques pessoais.  Não se  trata da pessoa ser mentalmente sã para rejeitar o politeísmo, e sim de usar a razão de foram correta. É uma ofensa chamar as pessoas do movimento neopagão de desequilibrados mentalmente. È uma vergonha para um filósofo não saber provar a inexistência dos deuses!

9- CONTRADIÇÕES BÍBLICAS
9.1“Os autores dos livros de Lucas e Mateus, por exemplo, declaram que Maria concebeu virgem, adotando aversão grega de Isaías 7:14. Contudo, o texto hebraico de Isaías usa a palavra ‘alma’, que significa simplesmente ‘uma jovem’, sem nenhuma implicação de virgindade. Parece praticamente certo que o dogma do nascimento virginal, e boa parte da conseqüente ansiedade no mundo cristão a respeito do sexo, é um produto de uma tradução errada do texto hebraico.”p. 61
Resposta:
1- O texto grego foi feito por Judeus e não por Cristãos, e estes judeus tinham familiaridade com o hebraico, o que torna o erro improvável e de fato não foi erro.

2- De fato o texto hebraico traz a palavra ‘alma’, porém todas as vezes que ela aparece no Antigo Testamento ela implica em virgindade como por exemplo: Gn 24:16 “E a donzela era mui formosa à vista, virgem, a quem varão não havia conhecido; e desceu à fonte, e encheu o seu cântaro, e subiu.”.

3- “Almah é utilizada 7 vezes na Bíblia Hebraica,e em cada aparição explicita uma virgem ou implica nisso, porque a palavra bíblica ‘almah’ sempre se refere a uma mulher solteira de boa reputação” (Comentáriio Judaico do Novo Testamento, MT 1:23, 2008)
As ocorrências são Gn 24:16; 43; Ex 2:8(onde Myrian tinha 9 anos de idade); Sl 68:25; PV 31:19; Ct 1:3; 6:8. Não há ocorrência pela qual possa ser provado que esta palavra designa uma mulher que não é virgem.

4- O termo hebraico “bethuwlah” em pelo menos Joel 1:8 (Lamenta como a virgem que está cingida de pano de saco pelo marido da sua mocidade) implica necessariamente em uma mulher não virgem [A menos que ela estivesse apens noiva].

5- "Se, ao contrário da LXX, as traduções gregas posteriores (século II d.C.) do texto hebraico de Isaías 7.14 preferem neanis (“jovem mulher”) a parthenos (conforme Áquila, Símaco, Teodócio), podemos suspeitar legitimamente de um esforço consciente dos tradutores judeus para evitar a interpretação cristã de Isaías 7.14"  O comentário de Mateus / D.A. Carson ; São Paulo : Shedd Publicações, 2010.p. 104

6- Logo não há nenhum problema com a tradução, o problema é que Harris em vez de consultar os especialistas leu apenas os críticos da fé cristã, e ais uma vez se deu mal.



9.2- Outro golpe contra a doutrina do nascimento virginal é que os outros dois evangelistas não ouviram falar a respeito.Tanto Marcos como João parecem constrangidos com as acusações da ilegitimidade de Jesus. São Paulo afirma que Jesus ‘nasceu da semente de Davi, de acordo com a carne’ e ‘foi nascido de mulher’, sem nenhuma referência a virgindade de Maria. P.61
Resposta:
1- Harris desonestamente utiliza o famoso “argumento do silêncio”, o qual não tem validade alguma. O fato deles não terem escrito sobre o fato em si não prova que eles não sabiam ou estavam constrangidos. Tanto marcos quanto João começam a narrativa a partir do momento do batismo de Jesus, ocasião em que tinha cerca de 30 anos de idade, e não a partir de seu nascimento.

2- Em Rm 1:3 Paulo apenas citou que Jesus “nasceu da descendência de Davi segundo a carne”, não mencionou nem o nome de sua mãe, nem a cidade que nasceu, quem o visitou. Será que Paulo não sabia destes fatos? Claro que sim.

9.3- “Mateus 27, 9-10, por exemplo, alega cumprir uma afirmação que atribui a Jeremias. Na verdade, essa afirmação aparece em Zacarias 11,12-13” p.61
Resposta:
1- É verdade que é uma citação de Zc 11:12-13:
 v.12 “E eu disse-lhes: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o que me é devido e, se não, deixai-o. E pesaram o meu salário, trinta moedas de prata.
v.13  O SENHOR, pois, me disse: Arroja isso ao oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. E tomei as trinta moedas de prata e as arrojei ao oleiro, na Casa do SENHOR.”

 Mateus 27:9  “Então, se cumpriu o que foi dito por intermédio do profeta Jeremias: Tomaram as trinta moedas de prata, preço em que foi estimado aquele a quem alguns dos filhos de Israel avaliaram
Mateus 27:10  e as deram pelo campo do oleiro, assim como me ordenou o Senhor.”


2-A ordem dos livros do antigo Testamento estabelecida pelos judeus na época de Jesus não é a mesma que temos hoje. Os judeus dividiram em três partes:

  •  a primeira é a [Tora] Lei (contendo os cinco primeiros livros de Moisés); 
  • a segunda é chamada [Neviim]Profetas, os quais se subdividem em profetas Anteriores (que inicia com o livro de Josué) e profetas Posteriores (que inicia com Jeremias);
  •  a terceira é chamada de [Ketuvim] (a qual inicia com o livro de Salmos). 
Em Lucas 24:44:  E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na Lei de Moisés, e nos Profetas, e nos Salmos.” Jesus citou a tríplice divisão, mas ao citar a terceira parte a mencionou com o nome do livro que inicia o conjunto “Salmos” , o mesmo aconteceu na citação de Mateus,o qual cita  profecia de Zacarias  contida nos profetas posteriores.

9.4- “João nos diz que Jesus foi crucificado na véspera da ceia da Páscoa; Marcos diz que foi no dia seguinte” p. 61
Resposta:
1-   A aparente contradição no texto é porque em João 18:28 diz que: Depois, levaram Jesus da casa de Caifás para a audiência. E era pela manhã cedo. E não entraram na audiência, para não se contaminarem e poderem comer a Páscoa.”
2-   Harris,  assim como leitores desatenciosos da bíblia não sabem que o termo páscoa pode se referir tanto a Páscoa quanto a festa dos Pães Asmos que se iniciava no dia seguinte a Páscoa, veja:  Lc 22:1 , Estava, pois, perto a Festa dos Pães Asmos, chamada de Páscoa” .Assim o texto de João se refere a festa dos  Pães Asmos, e não há portanto contradição alguma. Jesus em João 15 celebrou a Páscoa com seus discípulos, conhecida como “a última ceia”

9.5- “À luz de tais discrepâncias, como é possível que você acredite que a Bíblia é perfeita em todas as suas partes?” p. 61
Resposta:
Como visto acima não há discrepância alguma, e sim falta de estudo da parte de Harris.

10- A BÍBLIA NÃO TEM PREVISÕES EXATAS
“Mas imagine como seria específica e impressiionante uma obra de profecia, se fosse realmente produto da onisciência. Se a bíblia fosse um livro assim, ela faria previsões perfeitamente exatas sobre os acontecimentos humanos”(p.62)
“em dois lugares o bom livro afirma que a proporção entre a circunferência de um círculo e o seu diâmetro é de 3:1 (1 Rs 7:23-26; 2 Cr 4:2-5.. a bíblia nos oferece uma aproximação rudimentar memso para os padrões da antiguidade...”“Por que a bíblia não diz nada sobre a eletricidade, ou sobre o DNA, ou sobre a verdadeira idade e extensão do universo? E o que dizer para uma cura sobre o câncer) (p.64)
Resposta:
Harris mais uma vez cai em descrédito, pois fala do que desconhece, vou citar uma profecia que dá detalhes, provando que foi o Ser onisciente quem fez a predição Dn 9:24-26:
v. 24  Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e ungir o Santo dos santos [o santíssimo].
v. 25  Sabe e entende: desde a saída da ordem[do hebraico “dabar”=palavra] para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
v. 26 E, depois das sessenta e duas semanas, será tirado o Messias e não será mais; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações.
v. 27 E ele firmará um concerto com muitos por uma semana; e, na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador

1- principais aspectos da profecia
a-  profecia específica o inicio das 70 semanas (a ordem para restaurar e edificar jerusalem 
b-Messias aparece no final de 69 semanas
 c- morte do messias depois da 69 semanas 
d- destruição da cidade e do santuario pelo príncipe que há de vir. 
e-aliança entre Israel e o príncipe que há de vir na última semana 
f-a alinça é quebrada  no meio desta última semana.Isso exige a reconstrução do templo de Israel, o qual até hoje está em ruínas e o restabelecimento dos sacrifícios no templo, fazendo com que a profecia seja cumprida só no futuro!

2-quantidade de  tempo das 70 semanas:
No hebraico esta escrito “setenta setes”. Em Dn 10:2-3, o hebracio diz “três sete DIAS” ou seja 21 dias, o termo dias não se encontra em Dn 9:24, logo se refere a anos.
Levítico 25:2-4 ilustra o fato acima. Levitico 25:8 mostra que havia um múltiplo de semana de anos.
Daniel já havia pensado em termos de múltiplos de anos e múltiplos de anos Dn 9:1-2-
Enfim o texto se refere a 70 semanas de anos

3-duração do ano profético:
 o ano nas profecias bíblicas tem 360 dias(compare Ap 12:6,14), portanto para se ter exatidão do cálculo, deve-se transformar os anos da profecia em anos do nosso calendário que tem 365,24236 dias ou seja, para se transformar na duração dos dias atuais se multiplica por 0,9856469.

4-o inicio das 70 semanas (Dn 9:24)
O texto diz que é a ordem para se restaurar e edificar Jerusalém  e não o templo! A ordem para se restaurar o templo foi em 539 a.C  conforme diz Esdras 1:1-4.
Veja Neeemias 2:1-8
Sucedeu, pois, no mês de nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, que estava posto vinho diante dele, e eu tomei o vinho e o dei ao rei; porém nunca, antes, estivera triste diante dele.
 8 e disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a edifique.
Isso se deu no ano 444 a.C no dia 5 de março.

5- As semanas de anos separadas por gurpos:
1ª sete semanas- restauração da cidade: levou 49 (49x 0.9856469=48,29) anos para restaurar a cidade
62 semanas posteriores- (apresentação publica de Jesus como o messias Zc 9:9)= 62 +7=69 . 69 multiplicado por 7 é igual a 483 anos (de 360 dias). 
Então transformando esses anos em danos atuais (o ano tropical tem 365 dias, 5 horas e 48 minutos e 45 segundos, arrendondando para 49 minutos ):483x 0.9856469=  476,06745 anos. Isso equivale a 476 anos e 24 dias. Se fizermos as contas: 476 anos menos 444 dá 32 anos. Como não existe ano zero, deve-se somar 1 ano, dando 33 d.C. Para ser mais preciso, como a data inicial era 5 de março de 444a.C , somando-se os 24 dias ao dia inicial (5 de março de 444 a.C) dá 29 de março de 33 d.C, que era 9 de nisã  [data da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém , a qual caiu num domingo] veja Zacarias 9:9 e compare com os evangelhos.(Jo 12:1,12 ou seja, Jesus foi recebido como messias 5 dias antes da Páscoa)
Depois das 7 +62 semanas, ou seja 69 semanas será morto o Messias! A 69ª semana de anos terminou em 29 de março de 33 d.C, num domingo de acordo com os evangelhos e a crucificação se deu na sexta feira, que caiu no dia 3 de abril de 33 d.C   
                                                                                                               
Obs. Como nosso calendário tem um erro de cerca de 4 anos, devemos diminui de 33 anos , 4 anos, o que dá 29 d.C. Ou seja 29 d.C (33d.C).

Depois das 7+62 semanas    destruição da cidade e do templo pelo príncipe que havia de vir: isso se cumpriu no ano 70 d.C , quando Tito invadiu com seu exército!
Última semana de anos (70ª semana)- como depois da 69ª semana o templo foi destruído (ano 70 d.C), a profecia prevê que o principe que a de vir (o anti-cristo) fará uma acordo com Israel por 7 anos (uma semana), mas na metade da semana quebrará o acordo com Israel , fazendo cessar o sacrif´cio e a oferta de manjares (o que requer a recontrução do templo 2 Ts 2:3-4). Esse período de 3,5 anos é descrito em Ap 12:6,14 11:2; 13:5 ,e é uma referencia ao anticristo

Respondendo a possíveis objeções:
1- Não se pode afirmar que o livro de Daniel foi escrito depois de cumprida a profecia, pois a Septuaginta (Tradução Judaica do AT para o grego) e manuscritos do mar morto, são anteriores a destruição de Jerusalém e do templo.
2-A profecia só pode ser interpretada desta forma por que a cidade e o templo foram destruídos apenas em 70 d.C.
3-O próprio historiador Flavio Josefo em seu livro “Antiguidades judaicas, livro 10, cap. 11) aplicou esta profecia de Daniel como tendo duplo cumprimento,  uma delas se referindo que Jerusalém iria se tornar uma desolação por Roma, certamente se referindo ao ano 70 d.C

Quanto a questão da aproximação do p, é claro que o escritor está falando em termos aproximados,  se utilizarmos o rigor Harris submete esta passagem não poderíamos utilizar de estatísticas (o que implica sempre em aproximações), e o fato é que ele lança mão delas! 
As próprias medidas da época , como o côvado (extensão do dedo máximo até o cotovelo) é uma medida aproximada e não uma medida exata. Faltou a Harris uma leitura extensiva da Bíblia para entender que não se usava o rigor de medidas científicas!
Êxodo 12:40  Ora, o tempo que os filhos de Israel habitaram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos.
Atos 7:6  E falou Deus que a sua descendência seria peregrina em terra estrangeira, onde seriam escravizados e maltratados por quatrocentos anos;



11- A CIÊNCIA E A RELIGIÃO SÃO CONTRADITÓRIAS
“Embora seja uma necessidade moral para os cientistas falar honestamente sobre o conflito entre ciência e religião, até a acadamia nacional de Ciências dos Estados Unidos declarou que esse conflito é ilusório:... a cientica não pode dizer nada acerca do sobrenatural. Se Deus existe ou não é uma questão sobre a qual a ciência é neutra”(Idem, p. 64-65)
Harris diz que esta declaração provavlemente ao medo da academia de perder verbas publicas de declarar o conflito.
“Tal como a ciência, cada religião faz afirmações específicas sobre o mundo. Essas afirmações alegam tratar de fatos- o criador do universo pode ouvir ocasionalmente suas preces; a alma entra no zigoto no momento da concepção; quem não acredita nas coisas certas a respeito de Deus vai passar por sofrimentos terríveis depois da morte. Essas afirmações estão intrinsecamente em conflito com as afirmações das ciências, pois são feitas a partir de provas terrivelmente insatisfatórias” (Idem, p. 65)
“O conflito entre a ciencia e a religião pode reduzir-se a um simples fato de cognição e do discurso humano: ou uma pessoa tem bons motivos para acreditar naquilo que acredita, ou não tem. Se houvesse bons motivos para acreditar que Jesus nasceu de uma mulher virgem, ou que Maomé voou para o céu em um cavalo alado, essas crenças necessariamente fariam parte da nossa descrição racional do universo. Todos reconhecemos que confiar na ‘fé’ para decidir sobre questões específicas de fatos históricos é ridículo- isto é, a´te que a conversa  se volte pára  a origem dos livros da Bíblia e o Corão, a ressurreição de Cristo...”  (idem p. 67)
Resposta:
1- O mais famoso biólogo evoluiconista Stephen Jay Gould declarou:
Ou metade de meus colegas é absurdamente estúpida, ou então a ciência darwinista é totalmetne compatível com as crenças regliosas convencionias, e assim, compatíveis com o ateísmo” (Impeaching a Self- appointed Judge)

2-A inauguração de novas áreas do saber e grandes descobertas das ciências foram feitas não por ateus, mas por pessoas religiosas.

3- “Quando extraímos conclusões filosóficas de dados científicos estamos pensando como filósofos... a competência específica de cientistas não oferece nenhuma vantagem quando se trata de considerar essa questão, assim como um jogador de beisebol não tem competência especial para opinar sobre os benefícios para os dentes, de um certo creme dental.Claro um cientista é livre para pensar como filósofo, assim como qualquer outra pessoa... se eles se envolverem em análises filosóficas, sua autoridade e sua perícia de cientistas não terão a menor importância... um cientista que fala como filósofo terá de prover um argumento filosófico.” (Um ateu garante: Deus existe, p. 95,96) . Em outras palavras, Antony Flew declara que toda as questões acima levantadas são de caráter filosófico e não científico. O fato é que Harris como filósofo que é deveria saber disso! Se trata de um sofisma muito grande.

4-   Quais os fatos das ciências que demonstram que Deus não responde a oração, ou que não existe  inferno, ou que existe uma alma logo no início da vida humana ou mesmo num momento posterior? Essas afirmações não estão em conflito com as ciências, mas além do domínio das ciências, estar além não é a mesma coisa que estar em conflito. São questões metafísicas.

5-   Houve sim em certos momentos da história uma tensão entre ciência e religião, como no caso do geocentrismo  x heliocentrismo (que na verdade foi descoberto por pessoas profundamente religiosas)  e hoje há o debate evolução x criação. E o debate encerra quando se prova que uma das partes está errada, como foi no caso do geocentrismo, hoje está claramente provado que o heliocentrismo é a visão correta. O conflito existe apenas quando ou há uma extrapolação de interpretação da bíblia ou de dados das ciências. Na época desprezou-se o fato claro e explicito que a linguagem (de Gênesis a Apocalipse) é fenomenológica, ou seja de acordo com o que se observa na Terra. Por isso as Escrituras declaram que o sol não se apressou a por-se, quando de fato foi a Terra que teve uma diminuição da sua rotação (ver Josué 10:12-14), é claro que se Deus existe ele é capaz de não só diminiuir a rotação da terra como também deter quaisquer efeitos catast´roficos resultantes deste acontecimento.
6-   Em relação ao connflito, heliocentrismo x geocentrismo nasceu da contribuição de 3 personagens religiosos, Copérnico, Kepler e Galileu: “Galileu, como Copernico e Kepler, era um homem de fé profunda” (O universo numa camiseta, p. 77). Galileu Galilei declarou: “Eu acho que... é muito piedoso e prudente afirmar que a Bíblia sagrada jamais pode afirmar inverdades- sempre que o seu verdaeiro sentido é compreendido... Mas acredito que ninguém irá negar que ele é, muito frequentemente, obscuro, e pode  querer dizer coisas muito diferentes do significado das simples palavras.” (idem p. 78)
A passagem de Josué, disse Galileu, concorda perfeitamente com a descrição copernicana- mas o autor da passagem, tentando manter as coisas simples para os pastores e lavradores que iriam ouvir a narrativa, contou a história como se vivêssemos em um universo cujo centro fosse a Terra. Como poderíamos colocar hoje em dia, eles a ‘tornaram mais acessível às massas’. Como as autoridades da Igreja, Galileu acreditava que a Escritura jamais poderia estar errada.”
“a experimentação e a análise matematica, em conjunto, seriam a espinha dorsal da ciência.Creditamos a Galileu o nascimento dessa idéia, uma noção que esncontrairia o sue maior defensor na obra de um inglês- um rapaz de Lincolshire [Newton], nascido um mês apenas após a morte de Galileu. ( idem p. 82). “Essa estratégia, inaugurada por Galileu e firmemente estabelecida por Newton, é agora chamada de método científico” (p.91)

7-    No caso da teoria da evolução, ela em si não exclui Deus, como de fato declarou Gold e há eminentes cientistas cristãos como Francis Collins, que acreditam na bíblia e na teoria da evolução, e assim também se posiciona a Igreja Católica. O debate se prolonga porque só há provas concretas da existência da adaptabilidade, ou seja uma evolução restrita, mas não há provas quanto a declaração de que todos os seres vivos descendem de um único ancestral comum.

8-   Harris na p. 65 diz que “é um fato histórico... que os japoneses bombardearam Pearl Harbor...Em vista das abundantes provas ....qualquer um que acredite que ele aconteceu em outra data, ou que os egípicios que lançaram as bombas, precisaria dar muitas expliações p.66. Mas ao mesmo tempo nega o nascimento virginal de cristo, bem como sua ressurreição. Despreza o fato de que tanto um como o outros são registros históricos. No caso dos milagres estes seriam necessariamente falsos caso se provasse que Deus não existe!

Conclusão:
Para ser um cientista não é necessário ser ateu, pode-se muito bem ser cientista e ser religioso, a prova disso está nos renomados cientistas citados que inauguraram várias áreas do saber e que hoje estão a frente de projetos singulares das ciências.



Nenhum comentário:

Postar um comentário