Pesquisar e

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Os nove dons do Espírito Santo

OS 9 DONS DO ESPÍRITO

Um estudo dos dons segundo a análise de fatos narrados na bíblia, e englobamento deles segundo características comuns e que se enquadram na lista de 1 Co 12:7-11

"Os dons são mecanismos pelos quais Deus libera seu poder. Logo NÃO EXISTE liberação de poder, exceto por meio de dons!"

Por Reginaldo Silva
"não busque poder, busque os dons do Espírito"


1.     INTRODUÇÃO

A Bíblia fala de diversos tipos de dons. Existem os dons ministeriais dados por Cristo Ef 4:7-12. Apóstolos (missionários), profetas, evangelistas, pastores e mestres; os quais só cessarão no retorno de Cristo onde se cumprirá o texto de Ef 4:13
 Há outros dons dados por Deus (entitulados por alguns de "dons de serviço")descritos em 1 Co 12: 28-30 e Rm 12:7-8, (sendo que alguns deles parecem se sobrepor: presidir = governar, socorro = misericórdia.) Todos sem exceção tem pelo menos um dom ministerial 1 Pe 4:9! Com exceção dos 9 dons do Espírito que vem somente após o batismo no Espírito Santo, os outros dons são dados independente deste batismo. Os dons ou manifestações do Espírito estão descritos em 1Co 12:7-11.
 Os 9 dons devem ser buscados por todos 1 Co 14:5, enquanto que os outros dons são ministérios (vocações) dados no momento em que aceitamos a Cristo (mas que desde a nossa formação no ventre estavam destinados caso aceitássemos a Cristo Gl 1:15-16), segundo a sua vontade, mas que exigem preparo e dedicação, enquanto que os de 1 Co 12:7-11 são instantâneos e completos na sua manifestação.
Não existe relação direta entre dons ministeriais e os 9 dons. Uma pessoa com o dom de evangelista pode não ter nenhum dos 9 dons como é o caso do Billy Graham ou pode ser com o diácono Felipe o qual tinha o dom de Evangelista e além disso possuía o dom de operação de maravilhas e dons de curar, assim como tinha o apóstolo Paulo e Pedro. At 6:5-6; 8:5. Nem mesmo o dom de profeta está necessariamente ligado ao dom de profecia (embora na suma maioria esteja), o dom de profeta se refere a pessoas que são levantados por Deus como porta-vozes (significado do termo profeta) como por exemplo Lutero.
Não existe relação direta entre título e dom. Os apóstolos se identificam como presbíteros (anciãos, pessoas maduras) 2 Jo1; 1 Pe 5:1 e estes pastoreiam o rebanho. Assim tanto uma pessoa com dom de evangelista, como de profeta, como de pastor ou apóstolo pode ser um presbítero. Como hoje se usa o título “pastor” há muitos pastores que não tem dom de pastor, mas de evangelista, profeta ou outro! At 13:1 chama Paulo e Barnabé de “profetas’ ou “mestres” (embora não sabemos ao certo quais dos dons se relacionavam a eles, e depois disto passam a serem identificados como APÓSTOLOS At 14:14,4, sim eles assumiram o papel de missionários mediante o envio e imposição de mãos do presbitério. Há no N.T 2 classes de apóstolos:

1-     os canônicos- (os 12, pois lançaram os fundamentos e os que forma inspirados a escrever , como PAULO.) Ef 2:20; 3:5
2-     Os não canônicos (simples missionários).  At 14:14; Gl 1:19 (como Barnabé e Tiago); Andronico e Júnias Rm 16:7












2.     NECESSIDADE  DOS 9 DONS
·        Jesus ensinou que devemos conhecer as Escrituras e o poder de Deus, e que os que crêem Nele podem fazer os sinais que ele fez Jo 14:12, e ainda maiores, pois Ele iria ficar somente por pouco tempo na Terra.
·        Todas as vezes que Jesus enviou alguém a pregar, mandou curar e expulsar demônios Mc 6:7-13; Lc 9:1-6; 10:1-9; Mc 16:14-19, mostrando ser sempre sua vontade curar todos.
·        A Igreja Apostólica não dava testemunho somente em palavras, mas em demonstração do poder do Espírito Gl 3:5; 1Co 2:4-5; 1 Ts 1:5; At 2:43; 3:1-8; 4:33; 5:15-16; 6:8; 8:6-7; 28:5-6; 19:11-12; Rm 15:19; etc

3.     CLASSIFICAÇÃO DOS 9 DONS de 1Co12:7-11
Alguns estudiosos classificam os dons em três grupos: A- revelação: palavra do conhecimento, palavra da sabedoria e discernimento de espíritos.  B- de poder: dons de curar, operação de maravilhas e dom da fé.  C- de elocução: profecia , variedade de línguas e interpretação de línguas. Porém com exceção do grupo B, tanto A quanto C são dons que fazem uso da fala. Também os dons de revelação são mais que 3 (Discernimento de espírito, Palavra do conhecimento, Palavra da sabedoria, Interpretação de línguas, e Profecia  !Co 14:24-25).Portanto esta classificação é muito falha, porém é a tradicional.

3.1 Inspiração - Palavra da sabedoria, palavra do conhecimento; discernimento de espíritos; profecia; interpretação de línguas, variedade de línguas. Os 5 primeiros são de revelação e o último além de revelação (no caso aqui, profecia) pode incluir oração e louvor.
3.2   De intervenção nas leis da natureza- Dom da  fé, operação de maravilhas, dons de curar.
Na manifestação destes dons algumas vezes as Escrituras mostrou a utilização de objetos materiais como árvore, sal, farinha, barro, lenços, aventais, mergulho em água 7 vezes; etc. Ex 15:25; 2Rs 2:20-22; 4:39-41; Jo 9:6-15; At 19:11-12; 2Rs 5:10-14; etc.

4.     OS 9 DONS  1Co12:7-11

 As nove manifestações operam independentes umas das outras pois o texto diz : “a um é dado”  isso “a outro é dado” aquilo. Assim o dom da Fé opera em separado dos demais dons, ao contrário da afirmação popular entre os escritores pentecostais.

4.1 Palavra da sabedoria- Sabedoria repentina e sobrenatural para solução de casos específicos ou comunicação de verdades dada pelo poder do Espírito. At 6:1-3; Lc 21:15; Gn 40:8-22; 41:17-37; Dn 4:19-24; Dn 2:36-45.

4.2 Palavra do conhecimento- Conhecimento repentino que vem de forma sobrenatural pelo poder do Espírito.Dn 2:28-35; 2 Rs 6:8-13. Não tem relação com conhecimento da Palavra, pois esta vem através da Iluminação das verdades bíblicas reveladas. Obs* At 5:1-4 parece ser mais compatível com o dom de profecia. Outros acham que se trata da manifestação do dom de discernimento de espíritos, porém me parece pouco provável.

4.3 Discernimento de espíritos- Discernimento sobrenatural repentino dado pelo poder do Espírito sobre a atuação de espíritos malignos ou de anjos, pois Satanás pode se disfarçar de anjo. At 16:16-18; Lc 13:11-13. Muitos estudiosos ensinam que este dom faz discernir entre aquilo que vem de Deus, do homem ou dos Demônios. Porém isto parece incerto.  O que é certo são os exemplos dados acima.
Alguns citam o trecho de Mt 16:22 como atuação do dom de discernimento de espíritos, porém ali se for atuação de algum dom, (pois poderia ser apenas o uso da lógica visto Jesus ter afirmado várias vezes que sofreria e morreria) seria mais provável tratar da atuação do dom de profecia ou palavra do conhecimento.

4.4 Dons de curar- Capacidade sobrenatural de curar todos os tipos de enfermidade dada pelo poder do Espírito.. A pessoa recebe os dons [de curar] e não alguns dons [de curar],  como alguns afirmam, veja 1Co 12:9; Mt 10:1.
 Deus quer curar a todos Ex 23:25; Sl 103:3; Is 53; Tg 5:13-15; Jesus mandou seus discípulos curar, todas as vezes que mandou pregar Mc 6:7-13; Lc 9:1-6; 10:1-9; Mc 16:14-19. Porém quando as pessoas não crêem (confiam) Ele não cura Mt 13:58, apesar de ter poder de curar a todos Lc 6:19. Jesus cura independente da pessoa decidir seguí-lo Lc 17:11-19.

4.5 Operação de milagres (ou poder)- É a capacidade de operar milagres (o termo “operação” no grego implica numa ação, atitude, operação, em fazer um a atividade buscando um resultado, trabalhar visando um fim), uma intervenção sobrenatural no decurso normal da natureza, pelo poder do Espírito Santo, em ocasiões necessárias. Exemplos: Multiplicação de alimentos 1 Rs 17:8-16; Mt 14:17-21; abertura de rio 2Rs 2:14; alteração do movimento de rotação da Terra Js 10:12-14; Is 38:1-8 em relação ao sol; ressurreição de mortos Mc 5:41; controle do clima Tg 5:17; Mc 37-41; transformação de água em vinho Jo 2:1-11; pesca milagrosa Jo 21:6-8, 11; purificação de água e alimentos 2Rs 2:19-22; 4:38-41; etc.

obs* alguns acreditam que o conceito apresentado aqui sobre a operação de milagres na verdade se refere ao Dom da Fé, porém o termo “operação” no grego implica numa ação que busca um resultado, ou seja o resultado acontece em conseqüência de sua ação).
Vale lembrar que todos os nove dons são miraculosos, no sentido de serem realizados por Deus. Mas a OPERAÇÃO DE MILAGRES se refere ao que foi acima apresentado.

4.6 Dom da Fé-  É a capacidade dada pelo poder do Espírito Santo de receber milagres em circunstâncias especiais. È claro que todos os dons se operam por meio de fé (geral). O dom da fé não deve ser confundido com a fé como fruto Gl 5:22 (que melhor é traduzida por fidelidade). Também não deve ser confundida com a fé geral, com a qual alcançamos respostas às promessas de Deus, inclusive o Dom da fé (fé especial) é alcançado através da fé geral assim como os outros dons.
 Assim deve-se distinguir esta fé do dom da fé. Chega-se a esta conclusão (de que o dom da fé se refere a capacidade dada por Deus de receber milagres ) pelo estudo dos milagres da Bíblia. Os milagres que se seguem são exemplos de milagres que não exigiram uma operação ativa, ação feita para produzir o resultado (e que não se enquadram em nenhum dos outros dons), se observarmos os casos dos exemplos do dom da operação de milagres veremos que havia uma atitude intencional para a produção do milagre, mas aqui não. Exemplos: livramento da cova dos leões Dn 6:22-23; andar sobre as águas Mt 14:22-31 (não foi o andar de Pedro que produziu o milagre, mas por Pedro receber o milagre pode andar sobre as águas); não sofrer dano de picadas de serpentes venenosas At 28:5-6 e o caso dos jovens na fornalha ardente.

4.7 Variedade de línguas-  É a capacidade sobrenatural de falar em línguas nunca aprendidas por quem fala, pelo poder do Espírito Santo. Pode-se falar línguas inteligíveis At 2:3-11 ou incompreensíveis 1 Co 14:2. Pode ser usado para oração e cântico 1Co 14:4-5, visando a edificação pessoal quando bem desejarmos. Pode também, segundo o querer do Espírito, ser usado para trazer uma mensagem (profecia) em língua conhecida pelo ouvinte da mensagem At 2: 4-11;  ou em língua desconhecida, mas que através da operação do Dom de interpretação ser interpretada 1 Co 14:5.
Obs: A maioria dos pentecostais distingue língua como sinal e como dom, falam que como sinal é para todos e como dom para alguns. Isto foi criado para fugir da argumentação de 1 Co 12:30, onde o texto diz que nem todos falam em línguas, o que em tese destruiria a doutrina pentecostal clássica. Porém esta divisão não é necessária.
         Em primeiro lugar Paulo não faz distinção entre línguas como sinal e línguas como dom, pois manda que os que falam em línguas orem para que as interprete, e fala que línguas não interpretadas podem edificar a pessoa que fala, logo trata-se de um só dom. Em segundo lugar seriam 10 dons e não nove e em terceiro lugar vemos que em Atos 2 os crentes cheios do Espírito Santo falaram em línguas não como oração (o que estes pentecostais classificam como sinal) mas sim como edificação dos que ouviam (o que eles chamam de línguas como dom) At 2:8,11.
O texto de 1 Co 12:30 segundo o contexto se refere ao corpo de Cristo em geral, ou seja, no corpo de Cristo nem todos tem os mesmos dons. Na verdade em relação aos 9 dons, muitos não tem nenhum dos dons. Porém Paulo disse para buscarmos os melhores dons. Ele também não estava discursando sobre a evidência inicial da plenitude do Espírito, ele simplesmente fala que nem todos no corpo de Cristo tem o dom de línguas, de curar, de interpretação. Depois ele diz para procurarmos os melhores dons, o que inclui a língua com interpretação. (Veja a discussão abaixo sobre os melhores dons)

4.8 Interpretação de línguas- É a capacidade sobrenatural de interpretar a mensagem em língua não conhecida, pelo poder do Espírito Santo. Pode ser interpretada pelo que está falando em outras línguas ou por outrém 1Co 14:13, 27. Uma mensagem em línguas seguida de interpretação eqüivale a uma profecia 1 Co 14:5.

4.9 Profecia- É a capacidade sobrenatural de receber e comunicar uma mensagem diretamente advinda do Espírito para alguém pelo poder do Espírito, esta comunicação se dá como uma inspiração, como acontece no falar em línguas e na interpretação. Serve para edificar, exortar e consolar 1 Co 14:3. Não é necessariamente de caráter preditivo, porém algumas profecias contém revelações 1 Co 14:24-25;  At 11:27-29; 13:1-4.
 Não deve ser confundida com o ofício de profeta que é dado para alguns Ef 4:11, enquanto que o Dom de profecia é para todos 1 Co 14:5. O dom de profecia no N.T não traz revelações quanto à doutrina, diferentemente da operação deste dom no A.T. O conteúdo da profecia deve ser analisado à luz da palavra 1 Co 13:29. Exemplos de operações do dom de profecia no N.T:At 13:1-4; 21:8-11. 


Observações -O DOM DE PROFETA :
1-profetas canônicos  (foram os que receberam inspiração INFALÍVEL), esta se  encerrou com o último livro a ser escrito apocalipse!!!
Ef 2:20;  3:5; MT 23:34 (esta passagem pode se referir também aos profetas não canônicos)

2-Profeta no sentido mais limitado (profeta não canônico)
Tt 1:12
Mt 23:24
At 11:27-29 – Ágabo era profeta não canônico  (NÃO tinha profecia doutrinaria)
AT 13:1- profetas e mestres (Barnabé , Simeão e Lúcio, Manaem e Saulo) Sendo que Saulo e barnabé foram separados como apóstolos (missionários)! At 14:14
At 15:32 Judas e Silas
At 21:10 Ágabo
1 Co 12:28-29; 14:29-32;
 Ef 4:11-14; Ap 11:10

3-Tanto as profecias doutrinarias como as não doutrinarias são inspiradas por Deus, mas apresentam propósitos diferentes:

As profecias do Nt não doutrinarias, apresentam propósitos específicos :

As filhas de Felipe profetizaram At 21:9
Ágabo profetizou a prisão de Paulo At 21:10-11
OS crentes de Èfeso At 19:6
Judas e Silas At 15:32
Ap 11:3,6,10
profecias que revelavam os segredos dos corações 1Co 14:24-25.

4- Assim essas profecias (não canonicas) deveriam ser julgadas, PELA palavra de Deus 1 Co 14:29. Assim a profecia canonica está acima da profecia não canonica.



5.     VEÍCULOS  E  INTER-RELACIONAMENTO DOS 9 DONS

5.1 Veículos- A profecia, palavra da sabedoria, palavra do conhecimento e discernimento de espíritos podem vir através de: sonhos, visões, convicção interior, voz interior. Nm 12:6

5.2  Inter-relacionamento- Alguns dons podem atuar juntos [porém são independentes] como: palavra do conhecimento e dons de curar, palavra da conhecimento e discernimento de espíritos; etc.


5.3  Funções equivalentes-
·        uma profecia pode advir através do dom da profecia, de uma interpretação de línguas, de uma palavra da sabedoria (como por exemplo na interpretação do sonho de Faraó, cujo conteúdo era profético.) ou de uma palavra do conhecimento (Dn 2:28-35 observe que Daniel não sabia do sonho, Deus revela o sonho por meio da palavra do conhecimento e interpreta-o por meio da palavra da sabedoria).


6.     REGULAMENTO DOS DONS
·        De maneira geral o falar em línguas deve ser em voz baixa, por causa de indoutos (crentes não instruídos) e incrédulos (não convertidos)1Co 14:28,32. Uma exceção  a essa regra ocorre quando o dirigente conduz a Igreja em oração, indicando o início e término 1Co 14:40.
·        Em caso de mensagem em línguas (feita em bom tom de voz) deve haver interpretação 1Co 14:28.
·        Deve-se profetizar com zelo 1 Co 14:39.
·        Tudo deve ser julgado à luz da Palavra 1Co 14:29.
·        Toda manifestação de Dom espiritual ocorre sobre pleno domínio da pessoa 1 Co 14:32-33. (muitas vezes a pessoa na 1ª vez que manifesta dom espiritual, dom de línguas, extravasa, porém isto não ocorre com frequência em denominações pentecostais onde se é ensinado a diferença entre manifestação e reação)
·        Deve-se distinguir manifestação do Espírito e reação da pessoa (caráter individual): muitas pessoas ao manifestar dons deixam-se dominar por suas emoções e cometem excessos chegando até mesmo num estado de catarse, outros fazem de reações individuais doutrinas. Alguns fenômenos entre os pentecostais são meramente sugestões do pregador ou modismos comportamentais (cola do Espírito Santo, cai cai, unção do riso, etc)
·        Toda manifestação pública de Dom espiritual deve visar a edificação coletiva 1Co14:26, caso contrário apenas servirá para chamar a atenção para si.


7.     REQUISITOS PARA RECEBER OS DONS
7.1 Ser batizado no Espírito Santo Lc 24:49; At 1:8.
7.2 Ter fé (confiar)-  Mc 16:17.
7.3 Buscar com jejum e oração- Lc 4:1-2; 1Co 12:31.
7.4 Buscar os dons que estamos precisando na obra de Deus- 1Co 12:7.

8.     OS MELHORES DONS

Paulo nos exortou a buscarmos os melhores dons 1 Co 12:31. Porém qual é o maior dom? Há um dom maior? O dom de variedade de línguas é o menor dom? ou será o maior?

Pelo contexto da carta, e afirmações diretas do apóstolo, ele afirma que tudo deve ser feito para edificação, e afirma que os coríntios deveriam buscar principalmente o dom de profecia 1 Co 14:1, logo considerava NA QUESTÃO este como sendo o maior ou um dos maiores, porque este trazia edificação da igreja e convenceria os descrentes 1Co 14:3, 5, 24-25.A questão dos melhores dons estava relacionada então a questão da edificação coletiva 1Co 12:7; 14:1-31.
 Se a língua vem acompanhada  de interpretação, sua função se iguala ao do dom de profecia 1 Co 14:5. Se lermos o texto veremos que o dom que mais tem funções é o dom de variedade de línguas pois tem as seguintes funções: oração e cântico 1Co 14:4-5, visando a edificação pessoal quando bem desejarmos. Pode também, segundo o querer do Espírito, ser usado para trazer uma mensagem (profecia) em língua conhecida pelo ouvinte da mensagem At 2: 4-11;  ou em língua desconhecida, mas que através da operação do Dom de interpretação deve ser interpretada 1 Co 14:5.
Assim o dom de línguas é o único dom que nos capacita por nós mesmos (sem a dependência direta de outros) sermos edificados. Nenhum outro dom pode ser utilizado quando bem entendermos, nem muito menos em nosso próprio benefício, só ele tem essa particularidade. E além do mais por ser um dom primariamente de oração faz que através do exercício alcancemos outros, inclusive o de interpretação 1 Co 14:13. Assim o dom de línguas seria superior em número de funções. Pena que este ensinamento tão lindo tem sido distorcido e este dom tem sido desprezado ou mal utilizado. Estamos nos mesmos dias de Corinto!!

9- FRUTO E DONS
É possível a pessoa possuir os dons sem ter o fruto do Espírito desenvolvido 1 Co 1:7,10-11; 3:1-3; 5:1-13; 6:1-20; etc. O desenvolvimento do fruto vem através da obra do Espírito, e esta depende de cada pessoa regenerada, porém o batismo no Espírito Santo, OS DONS ESPIRITUAIS, pode ser outorgado em qualquer momento da experiência cristã visto sua finalidade. Há ainda aqueles que mesmo sendo batizados no Espírito Santo vivem como os crentes não batizados, pois não entendem o propósito do batismo, acham que este serve apenas para falar em outras línguas quando “sentem”, e não como oração diária.

10- DONS ESPIRITUAIS E DEMÔNIOS
Nem todos os que falam em outras línguas, ou exprimem algum dom sobrenatural são batizados no Espírito Santo, pois existem atuações demoníacas 1Co 12:3; Ap 13:12-14. Ninguém que cultua ídolos, ou mortos tem o Espírito Santo 1Co 10:20-21; 12:2; etc.

11- REAÇÃO INDIVIDUAL x MANIFESTAÇÃO DO ESPIRITO SANTO
Muitos confundem Reações Individuais (choro, alegria, cair, etc) com a evidência do batismo no Espírito Santo, ou com manifestação do Espírito Santo, porém a evidência inicial do Batismo está descrita na Bíblia, assim como as manifestações do Espírito.
 Todas estas reações podem acontecer independente da ação do Espírito NÃO SENDO portanto manifestações do Espírito e sim REAÇÕES à ações do Espírito ou reações a SUJESTÃO de pregadores de FOGO (de palha)!

Muitos confundem desordem com poder de Deus!! O PODER de Deus é liberado por meio de dons e não de modismos como “cai, cai’ (repouso do Espírito); “cola do Espírito Santo”, “dança no espírito” (pois acham que dançar expontaneamente é pecado!, se fosse assim os Africanos estariam em pecado!), “unção dos 4 seres viventes” e outros.


Sobre o batismo no Espírito Santo ou plenitude do Espírito ver http://averacidadedafecrista.blogspot.com.br/2014/07/batismo-no-espirito-santo-o-carater.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário