Pesquisar e

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Origem da alma- Traducionismo, natureza da alma e gêmeos- Uma combinação desatrosa


A ORIGEM DA ALMA E DO ESPÍRITO

Como alma e/ou espírito são imateriais e tem uma origem comum, para efeitos didáticos este estudo não vai discutir se a natureza humana é dicotômica (homem formado de corpo e alma/espírito. Sendo estes termos sinônimos) ou tricotômica (homem formado de corpo, alma e espírito. Sendo estes dois termos distintos mas unidos)

TRADUCIONISMO x CRIACIONISMO

Introdução
"O termo traducionista tem sua origem no vocábulo latino tradux, que significa “ramo de uma videira.” Ao ser aplicado à origem da alma, segundo os traducionistas, a palavra significa que cada novo ser humano é um ramo que sai dos seus pais, isto é, tanto a alma, quanto o corpo são gerados pelo pai e pela mãe.  Em resposta à visão criacionista (a qual defende que Deus cria cada vida nova diretamente no útero), os traducionistas (ou traducianos) observam, primeiramente, que a criação foi completada no sexto dia (Gn 2.2; Dt 4.32; Mt 13.35) e que Deus agora está em descanso e nada mais criou depois daquele momento (Hb 4.4)."   (Teologia Sistemática Norman Geilser, CPAD)

"Este ponto de vista foi proposto por Tertuliano e sustentado implicitamente por Agostinho. Nos tempos modernos tem sido a opinião prevalecente da Igreja Luterana. Sustenta que a raça humana foi criada imediatamente em Adão e, com relação tanto ao corpo como à alma, propagou-se a partir dele por geração natural - e todas as almas desde Adão são apenas mediatamente criadas por Deus, o sustentador das leis de propagação que foram originariamente estabelecidas por ele."     (Teologia sistemática Strong. vol 2)

Os traducianistas... afirmam que ela [a alma] é produzida pela lei da geração, sendo tão verdadeiramente derivada dos pais como o é o corpo. O homem inteiro, alma e corpo, é gerado. O homem inteiro deriva da substância de seus progenitores... Afirmam que a alma é suscetível de “amputação e divisão”, de sorte que uma porção da alma dos pais é comunicada ao filho. Outros se esquivam dessas expressões, e contudo afirmam que há uma derivação genuína de um procedendo dos outros. Ambas as classes, contudo, insistem na identidade numérica da essência em Adão e toda sua posteridade, seja no tocante à alma, seja no tocante ao corpo. Os mais iluminados e sinceros defenso-res do traducianismo admitem que as Escrituras silenciam sobre o tema. Agostinho disse a
mesma coisa mil anos atrás “De re obscurissima disputatur, non adjuvantibus divinarum
scripturarum certis clarisque documentis.” ..."  (Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 534)



Princípios Criacionistas:
  • A alma tem origem numa criação imediata, sobrenatural de Deus, dentro do útero materno.
  • A alma é por natureza simples e portanto indivisível

Princípios Traducionistas
  • Deus só opera na criação por meio natural, automático, por intermédio das leis da propagação existentes na suas criaturas
  • Deus cria as almas por meio dos pais, sendo portanto criação mediata
  • A alma dos pais gera almas sementes de maneira que na união do esperma e do óvulo, uma alma completa é gerada
  • A alma é passível de divisão e todas elas derivam de Adão
Parte 1-Incoerências, erros e contradições do Traducionismo


1.1-Viola a natureza Simples e Indivisível da Alma

 "É a mesma em natureza com a alma, a qual se chama uma porção individualizada da natureza humana, possuindo consciência, razão e vontade. Se, porém, ela é espiritual, então é indivisível. Divisibilidade é uma das propriedades primordiais da matéria. Tudo quanto é divisível é material. Se, pois, a humanidade, como substância genérica, admite “amputação ou divisão”, então ela tem de ser material. " (Teologia Sistemática Charles Hodge- p. 528)
 "...negando que sua teoria pressuponha qualquer separação ou divisão da substância da alma. Mas tal negação tem pouca valia. Eles sustentam que a mesma essência numérica que constituiu a alma de Adão constitui a alma de cada um de nós.
Se esse é o caso, então ou a humanidade é uma essência geral da qual os homens individualmente são os modos de existência, ou o que estava inteiramente em Adão está distributivamente, partitivamente e por separação, na multidão de seus descendentes. Portanto, derivação de essência implica, e geralmente admite-se implicar, separação ou divisão de essência. E esse seria o caso se admitirmos que a identidade numérica de essência em todo gênero humano se assegura por meio de geração ou propagação "
(Teologia Sistemática Charles Hodge- p. 537)
"Simplicidade da alma

164 A alma é simplesmente una em número e una no tempo, quer dizer, idêntica a si mesma, ela é ainda una em sua essência, quer dizer, simples e indivisívelao contrário das coisas materiais, que são compostas e divisíveis. É o que demonstra a análise das operações da alma.

a) A sensação. Temos das coisas materiais uma percepção indivisa. Ora, isto não se pode explicar senão pela simplicidade da alma. Se a alma fosse composta de partes, cada uma destas partes perceberia ou todo o objeto ou uma parte apenas do objeto, e nós teríamos então, no primeiro caso, tantas percepções totais quantas partes a alma tivesse, e, no segundo caso, tanta percepções parciais quantas partes tivesse a alma, mas jamais uma percepção una e indivisa do objeto.

b) A reflexão. A alma pode voltar-se sobre si mesma para conhecer-se nos seus atos. Ora, o que é composto não pode conhecer-se a si mesmo como um todo, porque as partes do composto permanecem necessariamente exteriores umas às outras. A supor que uma parte possa conhecer-se a si mesma, as outras permaneceriam sempre estranhas a ela. Unicamente uma substância simples é capaz de se voltar sobre si mesma, quer dizer, conhecer-se por reflexão"  (Curso de filosofia- Regis Jolivet, Editora Agir)
 "Teoria Traducionista: (1) É contrária à doutrina filosófica da simplicidade da alma. A alma é uma substância puramente espiritual que não admite divisão. A reprodução da alma pareceria implicar que a alma do filho se separa de algum modo da alma dos pais. Além disso, levanta-se a questão se ela se origina da alma do pai ou da mãe. Ou provém de ambos? Sendo assim, não é um composto?2) para evitar a dificuldade recém-mencionada, esse conceito tem que recorrer a uma destas 3 teorias:(a) que a alma da criança teve uma existência anterior, uma espécie de preexistência;(b) que a alma está potencialmente presente na semente do homem ou da mulher ou de ambos, o que é materialismo;..." (Teologia sistemática- Berkhof)
a- Na formação de uma pessoa
  • Se a alma vem dos pais, tanto o pai como a mãe contribuem para a formação da alma do filho, ou seja, vem de um composto do pai e da mãe (que alguns chama de almas-sementes!, o que  contraria o fato da alma ser Simples e portanto indivisível. A doutrina do traducionismo portanto viola o princípio da não contradição. 
  • Além disso Deus não pode fazer coisas contraditórias!  Ainda que Deus fizesse algo literalmente contraditório (como triângulos quadrados, deixar de existir ou fazer outro ser Eterno), ele teria de agir de modo Sobrenatural para dividir o que por natureza é indivisível!!!violando o princípio do automatismo (ver 3)
  • Portanto precisa de haver um Cisão para gerar almas sementes e uma União para formar a alma individual
  • Sendo assim o Traducionismo de modo ingênuo e contrário à razão trata algo imaterial (a alma) como se fosse material!!
E o número de divisões da almas não é pequeno, pois em média o homem saudável deve ter:  1- pelo menos 15 milhoes de espermatozóides por mililitro de esperma"
2- pelo menos 39 milhões de espermatozóides por ejaculação  http://www.huntington.com.br/infertilidade/infertilidade-masculina/espermograma/

b- Na formação de gêmeos
  • Se o traducionismo estivesse certo, gêmeos proveniente do mesmo óvulo [univitelinos]teriam que vir de uma divisão de uma alma individual completa [advinda da junção de duas almas sementes]. 
  • E com exposta acima, a alma é simples e indivisível.  A divisão do embrião pode acontecer até depois do 13º dia depois da concepção, levando ao gêmeos a se unirem. (ver abaixo figura)




1.2- Viola a natureza finita da alma
De onde vem tanta substrato para formação da alma de todos os seres humanos? que são bilhões?Vem da alma finita de Adão?
  • Os traducionistas dizem que a alma de Adão gerou Eva e deles pode vir indefinidamente novas almas por um processo que dispensa a ação imediata de Deus, a intervenção divina
  • Os animais tem somente a natureza material multiplicando-se pela agregação de elementos da natureza ao seu corpo, permitindo a eles crescerem em tamanho, multiplicar-se em número, pois tudo neles vem do pó e ao pó retornam. Ou seja, tudo neles se resume ao material
  • Dizer que da alma finita, simples e indivisa de Adão se formam bilhões de almas é violar a natureza finita da alma e exigir um milagre!!!!


1.3-Contradiz sua tese que toda alma vem dos pais 
 O traducionismo ensina que as almas de todas as pessoas vem dos pais; mas isso não acontece no caso dos gêmeos;
No caso de uma gestação gemelar que ocorreu no 10º dia depois da concepção teremos:
  • 1º dia- uma alma completa vindo de duas pré-almasUma pessoa
  • 10º dia- duas almas completas, sendo que uma delas veio da alma completa do irmão. Duas pessoas
  • Ou seja, alma do irmão que surgiu no 10º dia veio do irmão que surgiu no 1º dia. 
  • Portanto o indivíduo que surgiu no 10º dia não tem sua origem nos seus pais, mas da alma completa de seu irmão, o que faz a teoria entrar em colapso. Teria que dizer que a alma vem dos pais ou do seu irmão.

1.4- Contradiz seu princípio de automatismo,cessação da intervenção divina, que extraem de Gn 2:2-3
(3) O traducionismo parte do pressuposto de que, depois da criação original, deus só age mediatamente. Depois dos seis dias da criação a Sua obra criadora cessou. A  contínua criação de almas, diz Delitzsch, é incoerente com a relação de Deus com o mundo. Pode-se, porém, levantar a questão: Que será, então, da doutrina da regeneração [pela qual nos tornamos novas criaturas], que não é efetuada por causas secundárias?
 (Teologia Sistemática- Berkhof) 
  •  Como já exposto no ponto 1, o  Traducionismo precisaria da intervenção divina para  dividir a alma dos pais [que é uma substancia indivisível] em pré-almas e para gerar uma alma pronta de um gêmeo em outra pronta de outro muitos dias depois!!!
  • É de fato notável o fato que a alma da mulher foi feita pela intervenção de Deus, pois só existia uma alma, a alma de Adão]
  • No caso de gêmeos, a teoria traduciana teria  que lançar mão de um milagre para fazer que uma alma já formada (como no exemplo acima), gerasse uma nova alma também pronta.
  • Vale a pena ressaltar que no caso do corpo isto é possível porque o embrião está num estágio primitivo, simples, apenas células.
  • Ou seja, se não há intervenção divina, seria preciso que espontaneamente, a alma já pronta desse origem a outra alma pronta. Isso seria equivalente a dizer que de um corpo já formado, espontaneamente gerasse outro corpo completo!!!!! Ora, só mesmo por um milagre isso aconteceria.
  • Se de fato o texto de Gn 2:1-3 significa que Deus não opera hoje em termos de criação imediata, se não por meio de processos automáticos inerentes a natureza, tanto o Criacionismo como o Traducionismo e sistemas heréticos como da preexistência das almas estariam em contradição com este texto.
  • Gn 2:2-3 portanto ensina que o trabalho criativo de Deus, que sem dúvida alguma inclui:

1- um processo natural e automático não estático e sim dinâmico de adaptação e de formação de novas formas de vida: (pois sabe-se que por exemplo que os cachorros vieram de lobos- tese esta defendida até mesmo pelos criacionistas da terra jovem) 
2- um processo sobrenatural na formação do homem: pois tanto na criação de Adão como de Eva estava presente o elemento sobrenatural. Vale ressaltar que na morte esta alma volta a Deus que a direciona ou ao céu ou inferno (hades/sheol)
Gn 2:2  E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito.3  E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.



formação de gêmeos geralmente não se dá na concepção
diaminiótico= duas placentas
dicorionico= duas bolsas
monoaminiotico= uma placenta
monocorionico= duas bolsas


1.5- O traducionismo lança mão de sementes de almas, fazendo que estas estejam vinculadas ao esperma e ao óvulo.
  • Quando se utiliza sêmen congelado de um homem morto, sua alma não está na terra, mas no paraíso  ou no inferno, como creem os traducionistas ( e afirma a Bíblia)
  • se alma vem dos pais, ela não pode vir do céu ou do inferno por um processo natural, ela teria que vir por uma intervenção divina,  processo sobrenatural. O que anula então a base da teoria.
  • Se ela não pode vir por intervenção divina, necessariamente tem de estar no ESPERMA .
  • No caso da mãe,  a alma do filho poderia vir diretamente da alma da mãe ou estar no óvulo. Mas sabemos que necessariamente estaria no óvulo, pois no caso de fecundação in vitro com o uso de óvulos e esperma  de pessoas mortas, e posterior implantação no útero, forma-se indivíduos normais. Neste caso necessariamente também a alma tem de estar no esperma e no óvulo, já que a alma dos pais não estão na terra.
  • Consequentemente a alma do filho então tem de vir de almas ou pré-almas no óvulo e no esperma. Além disso esta alma proveniente dos pais passaria então necessariamente por um apagão semelhante a doutrina platônica.
  •  Toda vez que um homem tem polução noturna e uma mulher ovula, estas pré-almas (que teoricamente não seriam materiais) ou sementes de almas são eliminadas (cerca de 40 milhões) juntamente com o óvulo e os esperma. E para onde vão?
1.6- O traducionismo leva a uma cristologia decadente

 "Um terceiro argumento em prol do criacionismo e contra o traducianismo se deriva da
doutrina bíblica no tocante à pessoa de Cristo. Ele era mesmo homem; possuía uma natureza humana genuína; um corpo genuíno e uma alma racional. Ele nasceu de uma mulher. Era, no que tange à sua carne, o filho de Davi. Ele descendeu dos país. Em tudo foi feito um de nós, não obstante sem pecado. Isso se admite de ambos os lados. Mas, como já se observou com respeito ao realismo, isso, na teoria do traducianismo, exige a conclusão de que a natureza humana de Cristo era culpada e pecaminosa. Somos participantes do pecado de Adão, quer quanto à culpa, quer quanto à corrupção, visto nos ser comunicada a mesma essência numérica que pecou nele. Afirma-se que o pecado é um acidente e pressupõe uma substância da qual ele é inerente ou à qual ele pertence. Comunicação de pecado pressupõe, pois, comunicação de essência. Se não estivermos em Adão no tocante à essência, então não pecamos nele nem derivamos dele uma natureza corrupta. Mas, se estivermos nele quanto à essência, então seu pecado foi nosso pecado, quer quanto à culpa, quer quanto à corrupção. Esse é o argumento dos traducianistas reiterado de muitas formas. Eles insistem, porém, que Cristo estava em Adão quanto à substância de sua natureza humana tão genuinamente como estávamos.
Dizem que, se seu corpo e alma não se derivaram do corpo e alma de sua virgem mãe, então Ele não era um homem real, e não pode ser o Redentor dos homens. O que procede no tocante aos demais homens deve, consequentemente, proceder no tocante a ele. Portanto, Ele deve estar tão envolvido na culpa e corrupção da apostasia como os demais homens. Não se pode afirmar e negar a mesma coisa. É contraditório dizer que somos culpados do pecado de Adão em virtude de sermos participantes de sua essência, e que Cristo não é culpado de seu pecado nem se envolveu em sua corrupção, embora seja participante de sua essência. Se participação de essência envolve comunicação de culpa e depravação num caso, então deve envolver também no outro. Como essa parece ser uma conclusão legítima da doutrina traducianista, e como tal conclusão é anticristã e falsa, a doutrina propriamente dita não pode ser verdadeira.' 
(Teologia Sistemática Charles Hodge- p. 537)

"Geralmente se alia à teoria do realismo, uma vez que é o único modo pelo qual pode explicar a culpa original. Fazendo isso, afirma a unidade numérica da substância de todas as almas humanas, posição insustentável; e também deixa de dar uma resposta satisfatória à questão, por que os homens são responsabilizados somente pelo  primeiro pecado de Adão, e não pelos seus pecados subseqüentes, nem pelos pecados dos seus outros antepassados" (p. 187 Teologia Sistematica L Berkhof)
'Finalmente, na forma imediatamente acima indicada, a teoria leva a dificuldades insuperáveis na cristologia. Se em Adão a natureza humana pecou globalmente, e esse pecado foi, portanto, o verdadeiro pecado de cada parte dessa natureza humana, não se pode fugir à conclusão de que a natureza humana de Cristo também foi pecadora e culpadaporque teria pecado de fato em Adão. (p. 187 Teologia Sistematica L Berkhof)
Além disso, é insistir que a doutrina da encarnação envolve necessariamente a veracidade da teoria ex traduce. Cristo nasceu de uma mulher. Ele era a semente da mulher. A não ser que tanto a alma quanto o corpo derivassem de sua mãe humana,
afirma-se, Ele não poderia ser verdadeiramente de nossa mesma raça. Os teólogos luteranos, portanto, dizem: “Si Christus non assumpsisset animam ab anima Marias, animam humanam non redemisset”. Não obstante, isso é um simples non sequitur. Tudo o de que se necessita é que Cristo seja um homem, como filho de Davi, no mesmo sentido que qualquer outro da posteridade de Davi, com exceção de sua concepção miraculosa...
(Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 535)

1.7- Os versos e argumentos bíblicos usados pelos  traducionistas não são conclusivos

  • ' Deus criou o homem à Sua própria imagem (Gn 1:27), e isso inclui uma semelhança com Deus no seu maravilhoso poder de "criar" outros seres humanos como nós. Assim, como o resto do mundo de animais e plantas descendem "segundo a sua espécie" (Gn 1:24),
  •  Adão e Eva também foram capazes de ter filhos, que eram como eles, com uma natureza espiritual e um corpo físico. Então significa que o espírito ou a alma dos filhos de Adão e Eva Adão e Eva que dele derivam. Além disso, as Escrituras pode às vezes dizem que os descendentes eram de algum modo presente no corpo de um dos da geração anterior, como quando o autor de Hebreus diz que, quando Melquisedeque encontrou Abraão como "Levi estava presente em seu ancestral Abraão quando Melquisedeque saiu ao encontro "(Atos 7:10). 
  • O Traducianismo explica como o pecado passa dos pais aos filhos sem tornar Deus diretamente responsável pela criação de uma alma  pecaminosa ou dotada e uma inclinação pecaminosa."  (Teologia Sistemática - Wayne Grudem, p. 399)
Resposta:
  •  O fato de que Adão e Eva tiveram filhos em sua própria imagem (Gênesis 5:3) não indica necessariamente  Deus não dá uma alma criada a criança individualmente. Além isso as características físicas e temperamentais são genéticas, com bem tem demonstrado o estudo com animais mais desenvolvidos como por exemplo os cães.
  • A ideia de que Levi ainda estava  já no corpo de Abraão (Hebreus 7:10) deve ser entendida num sentido representativo ou figurativo, não no sentido literal. Abraão apenas deu origem a alguns genes de Levi. Seu ancestral.
  •  Deus não é o autor do pecado, pois Deus gera uma alma condizente com o mundo atual caído em consequência do pecado de Adão (hipótese 1)
 'como Deus causa no mundo físico eventos compatíveis com as decisões voluntárias dos seres humanos, não parece haver nenhuma dificuldade teológica real na afirmação de que Deus dá a cada criança uma alma humana dotada de tendências pecaminosas  semelhantes às encontradas nos pais. De fato, lemos nos  Dez Mandamentos de Deus: "visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem" (Êxodo 20:5).Ademais, mesmo sem pensar na questão da alma do homem, sabemos da experiência humana que os filhos tendem a imitar as características boas e más de seus pais, não só como resultado de imitação em si, mas também devido à hereditariedade. O fato de que Deus dar a cada criança uma alma humana que está se conforma à imitação dos pais que verificamos nos filhos seria simplesmente uma indicação de que Deus, ao criar a alma humana, é coerente com o modo como ele age em relação à raça humana em outras questões. (Teologia Sistemática - Wayne Grudem, p. 400)

  •   Deus não é o autor do pecado, pois a alma é gerada nem santa, nem corrompida. Mas corrompe-se por fatores bio-psico-sociais no processo de formação de seu conteúdo:(hipótese 2)
Tendo em vista que as pesquisas apontam que características temperamentais, bem como instintos tem origem genética, (e portanto não tem origem na alma)Sabendo que personalidade é formada,  e que pessoas que cresceram sem o contato humano não desenvolvem habilidades como fala, consciência intelectual, consciência moral, etc.Sabendo que a alma forma uma unidade com o corpo de maneira plena.Sabendo que a alma recebe impulsos e sensações do corpo, bem como constrói-se por meio de fatores psiquicos e sociais.Conclui-se que a alma não é criada com habilidades inatas e portanto não nasce pecaminosa, mas simples e ignorante. Torna-se pecaminosa por fatores bio-psico-sociais, visto que essa tríade de fatores  encontram-se corrompidos em consequência da queda de Adão
"No relato original da criação há marcante distinção entre o corpo e a alma. Aquele procede da terra, esta procede de Deus. Tal distinção é mantida por toda a Bíblia. O corpo e a alma não são simplesmente representados como substâncias diferentes, mas também como de origens diferentes. O corpo voltará ao pó, diz o sábio, e o espírito voltará a Deus que o deu. Aqui a origem da alma é representada como diferente do corpo e mais sublime que ele. Aquela procede de Deus em um sentido que o segundo não procede. De modo semelhante, declara-se que Deus formou “o espírito do homem dentro nele” (Zc 12.1)..." (Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 537)
"(1)O Criacionismo. É mais coerente com as descrições gerais da Escritura, que o traducionismo. O relato original da criação indica marcante distinção entre a criação do corpo e a da alma. Aquele é tomado da terra, ao passo que esta vem diretamente de Deus. Esta distinção se mantém através de toda a Bíblia, onde o corpo e a alma não somente são apresentados como substâncias diferentes, mas também como tendo origens diferentes, Ec 12.7;...; Zc 12.1;(Teologia sistemática de L. Berkhof)
 Ec 12:7  e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.Zc 12:1 Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel. Fala o SENHOR, o que estendeu o céu, fundou a terra e formou o espírito do homem dentro dele. Gn 2:7  Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.
É bem verdade, como explicou Strong,que estes versos poderiam se referir a uma criação mediata, de Deus. Mas a luz do que foi exposto acima esta hipótese é descartada. Ver abaixo:
"As passagens freqüentemente apoiadas pelos criacionistas são:
Ec. 12.7 - “o espírito volta a Deus que o deu”; Is. 57.16 - “as almas que eu fiz”; Zc. 12.1 - “o Senhor que forma o espírito do homem dentro dele”; Hb. 12.9 - “Pai dos espíritos”. Mas com igual clareza afirma-se que Deus forma o corpo do homem: S I. 139.13,14 - “Tu formaste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Graças dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são maravilhosas”; Jr. 1.5 - “Antes que eu te formasse no ventre materno”.
Contudo, não hesitamos em interpretar estas passagens não como expressão imediata da criação, mas mediataDeus opera através das leis naturais da geração e desenvolvimento naquilo que se refere à produção do corpo do homem. Nenhuma das passagens citadas no começo proíbe-nos de supor que ele opera através destas mesmas leis naturais na produção da alma. No criacionismo a verdade se encontra na presença e operação de Deus em todos os processos naturais. Um Deus transcendente manifesta-se em toda a geração física. ..."  (Teologia Sistemática de Strong, vol 2)
Conclusão:
Na tentativa de negar a intervenção de Deus o traducionismo cai em graves contradições,  incoerências e perguntas sem respostas.




Parte 2-Objeções ao criacionismo. 

(1)" Esta teoria, se permite que a alma seja originariamente possuída de tendências depravadas, faz Deus o autor direto do mal moral; se sustenta que a alma foi criada pura, faz Deus indiretamente o autor do mal moral, ensinando que ele põe a alma pura em um corpo que inevitavelmente se corromperá "(Teologia Sistemática de Strong, vol 2) 

"tampouco podemos aceitar a idéia gnóstica 20* de que o contato de uma alma pura com o corpo material (no ventre materno) precipita a sua Queda. A explicação mais razoável é que tanto a alma quanto o corpo decaídos são gerados naturalmente a partir dos nossos pais."   (Teologia sistemática de L. Berkof)
20* O Gnosticismo defendia a crença errônea de que toda a matéria seria inerentemente má.
Resposta:
Temos duas respostas que evitam a conclusão acima:
1- Deus gera uma alma condizente com o mundo atual caído em consequência do pecado de Adão 
 'como Deus causa no mundo físico eventos compatíveis com as decisões voluntárias dos seres humanos, não parece haver nenhuma dificuldade teológica real na afirmação de que Deus dá a cada criança uma alma humana dotada de tendências pecaminosas  semelhantes às encontradas nos pais. De fato, lemos nos  Dez Mandamentos de Deus: "visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem" (Êxodo 20:5).Ademais, mesmo sem pensar na questão da alma do homem, sabemos da experiência humana que os filhos tendem a imitar as características boas e más de seus pais, não só como resultado de imitação em si, mas também devido à hereditariedade. O fato de que Deus dar a cada criança uma alma humana que está se conforma à imitação dos pais que verificamos nos filhos seria simplesmente uma indicação de que Deus, ao criar a alma humana, é coerente com o modo como ele age em relação à raça humana em outras questões. (Teologia Sistemática - Wayne Grudem, p. 400)
2-A alma é gerada nem santa, nem corrompida. Mas corrompe-se por fatores bio-psico-sociais no processo de formação de seu contúdo

  • Tendo em vista que as pesquisas apontam que características temperamentais, bem como instintos tem origem genética, (e portanto não tem origem na alma)
  • Sabendo que personalidade é formada,  e que pessoas que cresceram sem o contato humano não desenvolvem habilidades como fala, consciência intelectual, consciência moral, etc.
  • Sabendo que a alma forma uma unidade com o corpo de maneira plena.
  • Sabendo que a alma recebe impulsos e sensações do corpo, bem como constrói-se por meio de fatores psiquicos e sociais.
  • Conclui-se que a alma não é criada com habilidades inatas e portanto não nasce pecaminosa, mas simples e ignorante. Torna-se pecaminosa por fatores bio-psico-sociais, visto que essa tríade de fatores  encontram-se corrompidos em consequência da queda de Adão


1.7 'Os versos e argumentos bíblicos usados pelos  traducionistas não são conclusivos"

(2) "O criacionismo considera que o pai terreno gera somente o corpo do seu filho – certamente não a parte mais importante da criança – e, portanto, não explica o reaparecimento das características morais e mentais dos pais nos filhos. Além disso, por tomar esta posição, ele atribui aos animais irracionais poderes de reprodução mais nobres que ao homem, pois o animal se multiplica segundo sua espécie." (citado por Berkhof)
Resposta: 
Os animais herdam de seus progenitores o temperamento de seus pais, da mesma forma a psicologia atribui parte de nosso temperamento a  hereditariedade, mas também a influencias dos pais.  

(3) "O criacionismo não está em harmonia com a relação atual de Deus com o mundo e com a Sua
maneira de agir nele, visto ensinar uma atividade criadora direta de Deus, e assim ignora o fato de
que Deus presentemente age por meio de causas secundárias e cessou Sua obra criadora.(citado por Berkhof)"
 Resposta:
Como exposta acima o traducionismo dá um tiro no pé, pois precisa da intervenção de Deus para dividir a alma (que é por natureza indivisível), o que é impossível, gerar uma alma de um gêmeo! 



3-Evidênicas Traducionistas -Normam Geisler
(Teologia Sistemática Norman Geilser, CPAD)


3.1 Evidências Bíblicas a Favor do Traducionismo

Primeiro, desde o princípio, macho e fêmea são considerados uma só espécie, os dois
compartilhavam da “vida humana” (Gn 1.26).
Resposta:
 Nisto não há contradição alguma com o Criacionismo da alma

Segundo, tanto o macho quanto a fêmea, e não só o macho, ambos foram chamados
genericamente de “Adão” (5.1-2).
Resposta:
Adão significa Homem, no sentido de ser humano, humanidade. Nada mais que isso.
Gn 5:1 ¶ Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez;
2  homem e mulher os criou, e os abençoou e os chamou pelo nome de homem, no dia em que foram criados. (Tradução Brasileira, SBB)

Terceiro, Eva foi criada a partir de Adão, e não de forma separada (2.21-22).
Resposta:
Sim. Mas:
1- A alma de Eva não veio de um homem e de uma mulher.
2- A alma dela não veio de almas sementes
3-A alma dela veio a surgir, ainda que fosse de Adão [mas a Bíblia silencia a esse respeito], por intervenção divina e não de modo natural e automático

Quarto, a criação estava completa desde o princípio (2.1-3), e Deus entrou em descanso
daquele momento em diante (Hb 4.4).
Resposta:
1-O traducionismo , numa análise profunda necessita sim, da intervenção divina para que novas almas sejam criadas, como exposto acima. Ver "Incoerencias, erros e contradições do Traducionismo"

2- Deste texto não se segue necessariamente que Deus não opera de modo Imediato na sua criação
Mas, em primeiro lugar, não sabemos como a agência de Deus se conecta com a operação de causas secundárias, o quanto essa agência é mediata e o quanto é imediata; e, em segundo lugar, sabemos que Deus não se limita à mera direção providencial; que seu onipresente poder está sempre operando através de meios, e sem esses meios, em toda a esfera da história e da natureza. (Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 535)

Quinto, a Bíblia fala da unidade entre macho e fêmea (1 Co 11.8), como um tendo
vindo do outro.
Resposta:
1- Eva veio de Adão por intervenção divina
2- O texto faz referencia a Gn 2 que cita apenas a criação do corpo. Se a alma de Eva veio de Adão, isto não da base ao traducionismo, pois este diz que a alma vem de 2 progenitores
3- A Bíblia quando se pronuncia diz que a alma e o corpo tem origens diferentes.
Ec 12:7  e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.
Zc 12:1 Sentença pronunciada pelo SENHOR contra Israel. Fala o SENHOR, o que estendeu o céu, fundou a terra e formou o espírito do homem dentro dele.
Gn 2:7  Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.

Sexto, Eva é chamada de “mãe de todos os viventes” (Gn 3.20) — um título adequado,
somente se todo o restante da vida humana tiver sido gerado a partir dela.
Resposta:
 Defender que a alma vem por criação imediata de Deus, enquanto que a natureza física veio de Eva, não contradiz este texto.

Sétimo, Adão teve filhos conforme a sua imagem (5.3, cf. 1.26) — o que faz sentido somente
se a sua vida tiver sido verdadeiramente transmitida a eles por geração natural.
Resposta:
1-Animais guardam semelhanças físicas e temperamentais de seus pais, e contudo não tem alma.
 "Se um animal tem "alma" depende de como definimos a alma. Se definirmos a "alma" é o "intelecto, emoções e vontade", devemos concluir que, pelo menos, os animais superiores têm alma. Mas se definirmos a "alma", como fizemos neste capítulo, como o elemento intangível da nossa natureza que se relaciona com Deus (Salmo 103:1, Lucas 1:46; [Et al.) E vive para sempre (Ap 6:9), os animais não têm alma.O fato de que a palavra hebraica] nefesh, "alma" é usado às vezes em conexão com os animais (Gn 1:21, 9:4) mostra que a palavra pode às vezes significar apenas "vida", mas não significa que os animais têm o mesmo tipo de alma que o homem' (Teologia Sistemática - Wayne Grudem, p. 396)

2- O texto não diz como a semelhança foi comunicada ao filho.
 "Que Adão gerou um filho à sua própria semelhança e  segundo sua própria imagem, e deu-lhe o nome de Sete, simplesmente assevera que Sete era semelhante a seu pai. Não derrama luz alguma sobre o misterioso processo de geração, e não ensina como se assegura a semelhança do filho com os pais por meio de causas fisicas.' (Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 534)

Oitavo, a palavra carne (em grego: sarx) pode significar “pessoa inteira com um corpo”
(Jo 3.6; cf. 1.14; At 2.17; Rm 3.20) e não somente a transmissão de um corpo físico (como
argumenta a visão criacionista da origem da alma).
Resposta:
Os criacionistas não negam que o termo carne nestes versos tem o sentido de ser humano, mas isto não prova que a alma humana tem origem de seus pais.

Nono, de forma semelhante, em Romanos 1.3, carne, que vem da geração física, somente
se refere à toda a nossa humanidade e não somente ao corpo.
Rm 1:3  com respeito a seu Filho, o qual, segundo a carne, veio da descendência de Davi
Resposta:
o texto sem dúvida se refere a seres humanos completos, mas mesmo os traducionistas crêem na criação imediata da alma de Jesus

Décimo, Atos 17.26 nos informa que todos são descendência de Deus a partir de Adão, feitos à sua imagem, e tornados “um mesmo sangue”, por intermédio dos processos naturais de procriação.”
At 17:26  de um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação;
Resposta:
o verso acima não se pronuncia se alma veio por processo mediato ou imediato

Décimo-primeiro, Hebreus 7.10 nos ensina que Levi estava nos “lombos” de Abraão e veio
a existir como descendente de Abraão por intermédio da procriação de seus antecedentes
abraâmicos.
Resposta:
Ele estava potencialmente e não realmente em Adão.
Isto sem dúvida se refere a parte genética, pois devido a incoerencia interna do traducionismo não se pode dizer que a alma vem dos pais.

Décimo-segundo, o Salmo 139.13-16 nos revela que a nossa substância pessoal, a qual
transcende o campo físico, foi gerada no útero materno, por intermédio de um processo
natural e ordenado por Deus.
Resposta:
Isto só pode ser falado com relação ao corpo. Pois as incoerências internas do traducionismo o impede de falar que a alma vem dos pais.

Décimo-terceiro, o corpo dentro do útero é denominado de “pessoa” em muitas
passagens (por exemplo, Jó 10.10; SI 22.9-10; Jr 1.5). Além disso, pessoa é mais do que o
aspecto físico da humanidade.
Resposta:
Que a alma é formada dentro do corpo isto é coerente com o Criacionismo

 Zc 12:1Peso da palavra do SENHOR sobre Israel. Fala o SENHOR, o que estende o céu, e que funda a terra, e que forma o espírito do homem dentro dele.

Décimo-quarto, Romanos 5.12 diz que “por um homem” [Adão] todos pecaram. Isto sugere que os descendentes de Adão herdaram a mesma natureza pecaminosa de seu ancestral.
 1 Coríntios 15.22-27 afirma que todos os seres humanos eram um “em Adão.”
Resposta:
1-O Criacionismo da alma advoga que a natureza pecaminosa foi passada a todo ser humano, exceto Cristo. Ver Evidencias Teologicas a Favor do Traducionismo- resposta 1

2- O texto de 1 Co 15 fala especificamente da morte física (embora sabemos de outros textos que esta é consequente do pecado que causa a morte espiritual),e a morte física é atribuição do corpo, nossas células estão programadas para a morte, assim como os animais. Logo a simples herança genética  é suficiente para explicar a herança da morte física 

3-O texto de 1 Co 15 só afirma que por meio de Adão veio a morte (física, neste caso), e por meio de Cristo a vida eterna, a morte física veio depois do pecado e consequente expulsão do Éden, impedindo tanto Adão e Eva de comerem da Árvore da Vida. 
Portanto, este texto não defende de forma alguma a herança da alma dos pais.
1 Co 15:21  Porque, assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem.
22  Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.
23  Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda.
24  Depois, virá o fim, quando tiver entregado o Reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo império e toda potestade e força.
25  Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés.
26  Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.
27  Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que sujeitou todas as coisas.


Décimo-sexto, Efésios 2.3 deixa claro que todos nascemos com uma natureza pecaminosa, e
corpos desprovidos de alma não podem pecar.
Resposta:
O texto apenas diz que nossa natureza é pecaminosa, e os criacionistas da alma não negam isso

Décimo-sétimo, o Salmo 51.5 declara que fomos concebidos em pecado, algo impossível sem
a existência de uma alma humana no momento da concepção.
Resposta:
1- A maioria dos criacionistas advoga que a alma é criada no momento da fecundação.
2- O irmão de um Gêmeo univitelino pode ser gerado vários dias depois da fecundação. e isto como já discutido é um problema para o traducionismo. " 1-Incoerencias, erros e contradições do Traducionismo"
3- O problema nesta tese da origem da alma na fecundação é que 70 % das fecundações resulta em aborto expontâneo e uma só se sabe da gravidez depois da implantação no útero (nidação)

  • Se a alma é gerada antes da implantação o céu será composto na sua composição de mais de 70 % de abortos, somando no caso, os provocados.
  • Sendo Deus o autor de maneira direta ou indireta deste mecanismo, que seleciona os mais aptos, não penso que ele colocaria uma alma embriões antes da implantação, sabendo que de maneira natural. morreriam O próprio fato de milhares de espermatozoides competirem entre si de maneira natural , de maneira que apenas um fecunde, nos mostra um processo minucioso e intencional que vá gerar um novo ser dotado de alma depois de implantado.
  • Se for este o caso, mais uma vez o Traduciosmo se mostra um sistema incoerente.

Décimo-oitavo, e por último, Jesus é considerado como aquele que saiu “das entranhas” de
Davi (1 Rs 8.19 BJ)31, indicando uma ligação genética por intermédio da sua mãe.
Resposta:
1- Isto só provaria que Jesus descende fisicamente de Maria, mas não que sua alma descenderia dela, embora o texto possa simplesmente dizer que como José, Jesus descende dele embora não seja seu ancestral geneticamente falando. ver 1.6




3.2 Evidências Teológicas a Favor do Traducionismo

"Primeiro, a Bíblia fala da imputação (atribuição) de pecados de Adão para toda a sua
posteridade (Rm 5.13,18). É extremamente difícil interpretar isto em qualquer sentido real do
termo se a natureza pecaminosa não for transmitida por meio de algum processo natural."
Resposta:
1- Rm 5:12 pode ser interpretado no sentido que a morte (espiritual) passou a todos os homens porque eles pecaram ao adquirir a consciência, por herdarem a natureza pecaminosa. Pois Paulo fala de morte espiritual, advinda de uma consciência moral e portanto de pecados atuais!! A interpretação que houve uma Culpa Original é estranha aos Primeiros Escritores do Cristianismo (Os Pais da Igreja dos primeiros 3 séculos). Esta doutrina da Atribuição dos pecados de Agostinho é uma falácia

Rm 7:9  Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri.
10  E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte.

11  Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento, me enganou e me matou.

Rm 3:9  Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma; pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado;
10  como está escrito: Não há justo, nem um sequer,
11  não há quem entenda, não há quem busque a Deus;
12  todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
13  A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios,
14  a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura;
15  são os seus pés velozes para derramar sangue,
16  nos seus caminhos, há destruição e miséria;
17  desconheceram o caminho da paz.
18  Não há temor de Deus diante de seus olhos.
19 ¶ Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus,
20  visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.
21  Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas;
22  justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção,
23  pois todos pecaram e carecem da glória de Deus,

2- O Traducionismo viola a natureza indivisível da alma, bem como requer uma ação sobrenatural (vide acima 1.1 e 1.2)

3-Os criacionistas tem sim explicações naturalistas que explicam a origem da natureza pecaminosa. (ver abaixo)

Segundo, o fato de sermos nascidos com uma inclinação natural para o pecado (Ef 2.3; Jo 3.6) favorece a visão traducionista.
Resposta:
Como explicado acima a teoria traducionista tem incoerencias internas e portanto este ponto não a sustenta.[ver 1-Incoerencias e erros do Traducionismo]

Terceiro, a universalidade do pecado apóia o Traducionismo, pois se o pecado não for herdado por todos no nascimento, por que a Bíblia afirmaria que todos nascemos em pecado?
Resposta:
Os criacionistas da alma defendem que todos herdam uma natureza pecaminosa, pecamos porque temos uma natureza inclinada ao pecado.

Quarto, e por último, a unidade corpórea e incorpórea da natureza humana também favorece o Traducionismo, já que faz sentido se pensar que corpo e alma, juntos, são transmitidos dos pais para os filhos através da concepção.
Resposta:
1- Tanto na morte como na origem da vida, sob a teoria traducionista, quebram esta unidade:
Cada alma tem em si toda a bagagem de sensações corpóreas,  impressoes psíquicas e sociais.
Quando na morte, a alma se separa do corpo e guarda para si estas impressões.
Para que seja formada uma alma nova, a alma da mãe e  do Pai contribuiria para a formação da alma do Filho, mas de modo a apagar todas as lembranças (processo inverso à morte) [ver 1- Incoerencias e erros do Traducionismo]

2- Criacionismo também advoga uma separação na unidade ao nascer e ao morrer, mas não tem os problemas internos do traducionismo

3.3 Evidências Científicas a Favor do Traducionismo
Lembrando que alma (hebraico: nephesh e grego: psyche) significa “vida,” e que uma vida
humana é uma alma humana, as evidências científicas de que uma vida humana (uma alma)
começa no momento da concepção são sólidas.

Primeiro, é fato científico que a vida humana individual (com um DNA exclusivo) é passada
adiante pela geração natural, dos pais para o filho.
Resposta:
Isso não refuta o criacionismo pois este acredita que no momento que é gerado um novo ser aí sim Deus cria uma alma imediatamente.

Segundo, a clonagem produz o mesmo tipo de vida sem uma nova criação. Logo, a possibilidade da clonagem humana serve de apoio ao Traducionismo.
Resposta:
A clonagem só foi feita com animais, e animais não tem uma parte imaterial propriamente dita. Logo a clonagem é estritamente material. Além de tudo a própria ciência (visto que estamos tratando de evidências cientificas) não acredita em alma de animais
 "Se um animal tem "alma" depende de como definimos a alma. Se definirmos a "alma" é o "intelecto, emoções e vontade", devemos concluir que, pelo menos, os animais superiores têm alma. Mas se definirmos a "alma", como fizemos neste capítulo, como o elemento intangível da nossa natureza que se relaciona com Deus (Salmo 103:1, Lucas 1:46; [Et al.) E vive para sempre (Ap 6:9), os animais não têm alma.O fato de que a palavra hebraica] nefesh, "alma" é usado às vezes em conexão com os animais (Gn 1:21, 9:4) mostra que a palavra pode às vezes significar apenas "vida", mas não significa que os animais têm o mesmo tipo de alma que o homem' (Teologia Sistemática - Wayne Grudem, p. 396)

Terceiro, por analogia, as almas humanas, como a “alma dos animais”,também são
passadas adiante, da parte dos pais, para a sua descendência.
Resposta:
Os animais não tem uma parte imaterial propriamente dita. Suas características temperamentais tem base genética. E a ciência não acredita em alma animal. Além disso Norman Geisler (a quem estou refutando), assim como eu,  não crê que a alma seja uma projeção da matéria, mas uma parte de natureza distinta. (vera citação acima)

Quarto e último, como os seres humanos representam uma unidade psicossomática, o
corpo não passa de uma parte, e não representa a totalidade da pessoa. Como já vimos, faz
sentido que ambos sejam passados adiante em conjunto, dos pais para os filhos.
Resposta:
Com certeza acredito que corpo e alma formam uma unidade. Mas no caso dos gêmeos univitelinos, um passaria a alma para o outro, uma duplicação de alma já pronta. 


4-Evidências do Traducionismo- por Strong
(Teologia Sistemática de Strong- vol 2)

a) Parece o melhor segundo a Escritura, que representa Deus criando a espécie em Adão
 (Gn. 1.27) e desenvolvendo-a e perpetuando-a através de agentes secundários (1.28 cf. 22).
Só uma vez soprou-se nas narinas o fôlego da vida (2.7 cf. 22; 1 Co. 11.8. Gn. 4.1; 5.3; 46.26; cf. At. 17.21-26; Hb. 7.10) e depois da formação do homem Deus cessa sua obra da criação (Gn. 2.2). Gn. 1.27 - “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea o criou”; 28 - “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra”; cf. 22 - da criação do bruto: “E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei as águas dos mares; e as aves se multipliquem na terra”. Gn. 2.7 - “ E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida e o homem foi feito alma vivente”; cf. 22 - “ E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão”; 1 Co. 11.8 - “ Porque o varão não provém da mulher, mas a mulher, do varão”. Gn. 4.1 - “Eva ... gerou Caim”; 5.3 - “Adão ... gerou um filho ... Sete”; 46.26 - “Todas as almas que vieram com José ao Egito, que descenderam dele”; At. 17.26 - “e de um só fez [‘pai’ ou ‘corpo’] toda a geração dos homens”;  Hb. 7.10 - Levi “ainda estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro”; Gn. 2.2 “E havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra que tinha feito”. S h e d d , Dogm. Theol., 2.19-29, acrescenta também Jo. 1.13; 3.6; Rm. 1.13; 5.12; 1 Co. 5.22; Ef. 2.3; Hb. 12.9; SI. 139.15,16. Só Adão teve o direito de ser criacionista. W e s t c o t t , Com. on Hebrews, 178 - “Os descendentes de Abraão estavam incluídos nele não só como progenitor, no sentido físico, mas também porque ele foi o recebedor das promessas em que a plenitude da raça em seus múltiplos desenvolvimentos se incluía. E Levi inclui seus descendentes em sua própria pessoa assim como ele estava incluído em Abraão”; “Levi, pagando os dízimos em Abraão, implica que seus descendentes estão incluídos no ancestral visto que os seus atos têm validade para eles. Fisicamente, ao menos os mortos governam os viventes. O indivíduo não é um ser completamente autocentrado. Ele é membro de um conjunto. Portanto, o traducianismo é uma verdade. Mas, se isto fosse tudo, o homem seria um mero resultado do passado e não teria responsabilidade individual. Há um elemento não derivado do nascimento, embora possa seguir sobre ele. O reconhecimento da individualidade é a verdade do criacionismo. A for­ça da visão segue sobre o órgão da visão, modificado por esta, mas não criado por ela. Portanto, temos a unidade social da raça, mais a responsabilidade pessoal do indivíduo, a influência comum dos pensamentos mais a for­ça dos grandes homens, o fundamento da esperança mais a condição do juízo”.
Resposta:
ver 3.1




b) A analogia da vida vegetal e animal o favorece; nela garante-se o crescimento do número, não por multiplicidade de criação imediata, mas pela derivação natural de novos indivíduos a partir de um pai.
Uma derivação da alma humana a partir de seus pais não implica um ponto de vista materialista da alma e sua infinda divisão e subdivisão, mais do que semelhante derivação do bruto, prova que o princípio de inteligência nos animais inferiores é totalmente material. O método de Deus não é o do milagre sem fim. Deus opera na natureza através de causas secundárias. Deus não cria um novo princípio vital no começo da existência de cada maçã em separado, e de cada cão em separado. Cada um destes é resultado de uma força que por si se multiplica, implantada de uma vez por todas no primeiro elemento da sua raça. Dizer, com Moxon (Baptist Review, 1881.278), que Deus é o autor imediato de cada novo indivíduo é negar as causas secundárias e fundir a natureza em Deus. Toda a tendência da ciência moderna acha-se em direção oposta. E não há boa razão para tornar a origem da alma humana individual uma exceção à regra. Agostinho vacilou em seu traducianismo porque temeu a inferência de que a alma é dividida e subdividida, isto é, que se compõe de partes e, portanto, de natureza material. Mas não se segue que toda separação é material. Nós, na verdade, não sabemos como a alma se propaga. Mas sabemos que a vida animal se propaga e que ela não é matéria, nem formada de partes. O fato de que a alma não é matéria, não é composta de partes, não é razão suficiente por que não possa também propagar-se. É bom lembrar que substância não implica necessariamente ou extensão ou figura. Substância é somente aquilo que está debaixo, que é subjacente, que sustenta, ou, em outras palavras, aquilo que é a base dos fenômenos. A propagação da mente, portanto, não envolve qualquer divisão, ou rompimento, como se a mente fosse uma massa de matéria. A chama se propaga, mas não por divisão e subdivisão. O Professor L a d d é criacionista, juntamente com L o t z e , que ele cita, mas repudia a idéia de que a mente é suscetível a divisão; ver L a d d , Philos. of Mind, 206, 359-366 - “A mente não vem de lugar nenhum, pois ela nunca esteve, como mente, no espaço, e agora não está mais no espaço e não pode ser concebida como vindo e indo pelo espaço ... A mente é um crescimento ... Os pais não transmitem as suas mentes à sua descendência. A mente do filho não existe antes que ele aja. Suas atividades são a sua existência”. Assim podemos dizer que a chama não tem existência antes que ela aja. Ainda ela pode dever a sua existência a uma chama anterior. Há um provérbio indiano que diz: “Não há loto sem caule” . H all C a in e , em sua novela The Manxman, conta-nos que o Juiz (Deemster) da Ilha do Homem tinha dois filhos. Eram diferentes um do outro quando dentro e fora de uma bola. Mas a bola era o próprio Juiz (Deemster). H ar tle y C o le r id g e herdou o imperioso desejo de seu pai por estimulantes e com isso a sua capacidade de resistir à tentação deles.
Resposta:
1- O traducionismo exige sim que a alma seja um composto da alma do pai e da mãe, vindo da junção da divisão da alma do pai e da mãe,. tornando sim um princípio material, e violando a natureza indivisa e simples da alma (ver 1.1)

2- Os animais tem somente a natureza material multiplicando-se (se propagam) pela agregação de elementos da natureza ao seu corpo [por meio de nutrientes advindos direta ou indiretamente do solo], permitindo a eles crescerem em tamanho, multiplicar-se em número, pois tudo neles vem do pó e ao pó retornam. Mas o homem tem o seu corpo material e também sua porção imaterial, uma vem do pó da terra,  a outra vem de Deus e após a morte volta a Deus que lhe dá o destino (céu ou inferno). Sendo assim a natureza imaterial do homem tem origem e destino diferente de seu corpo material que é comum aos animais. A razão disso está na natureza (essência) dela, que é espiritual, e portanto indivisa e simples. Logo isso não nos permite dizer que Deus faz com que novas almas se formem por causas secundárias operantes na natureza material.

3-A analogia da chama é falsa, pois para haver combustão é preciso haver antes uma substância inflamável e uma fonte de calor para iniciar o processo de combustão. 0 fogo nada mais é do que um processo de combustão, iniciado po ruma fonte de calor. Uma chama é apenas uma fonte de calor que  gera o início da combustão.Para que ocorra o fogo é necessário que exija, sempre e obrigatoriamente, quatro coisas (Tetraedro do fogo):
  • Combustível - material que será oxidado (papel, madeira etc), ou seja, é tudo aquilo que pega fogo
  • Comburente - material que será reduzido (oxigênio)
  • Ignição - geralmente uma fonte de calor, para iniciar o processo de combustão, pode ser um atrito, chama ou outra reação química que produza um calor inicial para começar o processo
  • Reação em cadeira - após iniciado o processo, parte do calor liberado é usado para ser ignição e continuidade do processo de combustão  http://www.cursosegurancadotrabalho.net/2013/09/Fogo-e-o-tetraedro-do-fogo.html


c) A observada transmissão não simplesmente de características físicas, mas mentais e espirituais nas famílias e raças e especialmente as tendências morais uniformemente más e disposições que todos os homens possuem desde o seu nascimento são prova de que na alma assim como no corpo derivamos o nosso ser de um ancestral humano. Galton, em seu Gênio Hereditário e Pesquisa sobre a Faculdade Humana fornece abundante prova da transmissão de caraterísticas mentais e espirituais de pai para filho. Ilustrações no caso de famílias são os americanos Adams, os ingleses George, os franceses Bourbon, e os alemães Bach. No caso de raças, são os índios, os negros, os chineses, os judeus. Hawthorne representa a introspecção e a consciência da Nova Inglaterra Puritana. Emerson teve um ministro entre os seus ascendentes do lado paterno ou do materno no decorrer de cada uma das oito gerações anteriores. Todo ser humano é “um pedacinho do seu antigo grupo familiar” . “O homem é um ônibus no qual os ancestrais estão assentados” (O. W. Holmes). A variação é uma das propriedades das coisas vivas; a outra é a transmissão. “Numa mesa de disseca­ ção, nas membranas do corpo de uma criança recém-nascida, podem ser vistos ‘os sinais de um beberrão’. As manchinhas nas faces do seu neto fornecem um espelho do velho libertino. A hereditariedade é a forma de Deus visitar o pecado até a terceira e quarta gerações”. Sobre a hereditariedade e depravação ver Phelps, Biblia Sacra, abril 1884.254 - “Quando cada molé­cula no cérebro paterno tem a forma de um ponto de interrogação, chega quase a ser miraculoso se acharmos o sinal de exclamação da fé nas células cerebrais do filho”. Robert G. Ingersoll diz que a maioria dos grandes homens tem grandes mulheres e que a maioria das grandes mulheres tem grandes pais. A maioria dos grandes é como montanhas com o vale dos ancestrais de um lado e a depressão da posteridade do outro. House of the Seven Gables de H a w t h o r n e ilustra o princípio da hereditariedade. Mas em seu Fauno de mármore e na Transformação, H a w t h o r n e , não com sabedoria, sugere que o pecado é uma necessidade para a virtude, um cenário ou condição para o bem. D r y d e n , Absalom adn Ahitophel, 1.156 - “Homens de grande inteligência estão certos de que a loucura quase aliada e a fina participação divide os seus territórios”. Lombroso, O Homem Gênio, sustenta que gênio é uma doença mental aliada à mania epileptiforme ou à demência de excêntrico. Se fosse assim, inferirse-ia que a civilização é o resultado da insanidade e que, tão logo os napoleões, os dantes, e os newtons se manifestassem, seriam confinados em asilos de gênios.
Resposta:
1-tanto as características físicas como pscológicas de temperamento tem base genética e portanto corporal, física. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=18815219

2-Os animais seguem o mesmo padrão, e não tem alma 

d) A doutrina traducianista abrange e reconhece o elemento de verdade que dá plausibilidade ao ponto de vista criacionista.
O traducianismo apropriadamente definido admite uma concorrência divina em todo o desenvolvimento da espécie humana e permite, sob a orientação de um a Providência superintendente, progressos especiais em tipo no nascimento de homens marcados semelhantes aos que podemos supor terem ocorrido na introdução de novas variedades na criação animal.
Resposta:
Se existe providência superintendente sobrenatural que intervém no processo automático e natural, quebrasse a teoria de que Deus não intervém diretamente na formação de novas almas (base da doutrina traducionista).Como bem expressou Charles Hodge:
Se o traducianismo ensina que a alma admite amputação ou divisão; ou que a raça
humana está constituída de uma mesma substância numérica; ou que o Filho de Deus assumiu na união pessoal consigo mesmo a mesma substância numérica que pecou e caiu em Adão, então deve ser rejeitado como falso e como danoso, simultaneamente. Mas caso sem tentar explicar tudo, se afirme simplesmente que a raça humana se propaga em seguimento da lei geral de que semelhante gera semelhante; que o filho deriva sua natureza de seus país pela operação das leis fisicas, assistidas e controladas pela
ação de Deus, seja esta diretiva ou criativa, como em todos os outros casos de propagação de criaturas vivas, pode-se considerar uma questão aberta, ou assunto indiferente (Teologia Sistemática- Charles Hodge, p. 538)











Nenhum comentário:

Postar um comentário